Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 27 de setembro de 2021
Busca
Brasil

Aliança com adversários abre nova crise no PT em MS

7 Jan 2011 - 17h10Por Dourados Agora

A disputa pela prefeitura de Dourados, cuja eleição suplementar ocorrerá em 6 de fevereiro, abriu nova crise política nos quadros do PT devido ao fato de o partido ter se aliado ao DEM, indicando a professora Dinaci Ranzi como candidata a vice-prefeita na chapa do democrata Murilo Zauith.

Por causa disso, o ex-governador Zeca do PT voltou a entrar em linha de colisão com o senador Delcídio do Amaral, a quem acusa de jogar o partido na lata do lixo.

Derrotado na disputa para o governo estadual nas eleições do ano passado, Zeca não se conforma com a posição de seu partido que preferiu se aliar aos adversários a lançar candidatura própria.

O desejo do ex-governador e de uma ala petista era sacramentar a candidatura do vereador Elias Ishy na disputa pelo mandato tampão na maior cidade do interior de Mato Grosso do Sul.

Como a maioria dos delegados do partido decidiu pelo apoio à candidatura de Murilo, o grupo de Zeca resolveu mover uma ação na tentativa de virar a mesa e manter o nome de Ishy na disputa. Na esperança que isso aconteça, o vereador registrou sua candidatura na Justiça Eleitoral.

O desentendimento entre o grupo de Zeca e Delcídio ganhou atenção dos principais jornais do País. A Folha de São Paulo, por exemplo, destaca que o racha interno no PT de Mato Grosso do Sul deixou a cidade de Dourados em uma situação inusitada pelo fato de haver dois pré-candidatos petistas querendo concorrer à prefeitura na eleição extraordinária marcada para 6 de fevereiro.

A votação acontecerá após um escândalo de corrupção tirar do poder em outubro do ano passado o prefeito, vice-prefeito, presidente da Câmara e vereadores da cidade.

Na quinta-feira, último dia para que os candidatos protocolassem registro próprio, Ishi e o empresário Ricardo Demaman apresentaram seus nomes no Cartório Eleitoral como chapa pura para os cargos de prefeito e vice.

No entanto, uma convenção do PT municipal já havia homologado uma aliança com o DEM. A coligação "União por Dourados" que congrega outros 15 partidos.

O PT nacional recomendou que o municipal não se coligasse com o DEM. No diretório estadual do PT, o presidente Marcus Garcia apoia a aliança e o vice-presidente Rubens Alves é contra --ele entrou com recurso no diretório em Brasília pedindo que o caso fosse julgado.

De acordo com o Cartório Eleitoral, o juiz substituto Eduardo Machado Rocha ou a juíza Dileta Terezinha Souza Thomaz deverão julgar qual registro de candidatura entre os petistas é válido. A decisão deve sair nesta sexta-feira.

Leia Também

DESASTRE AÉREO
Diretor da UPA que sofreu acidente aéreo no Pantanal morre em hospital
COVID-19
Covid-19: Brasil tem 15,7 mil novos casos e 537 mortes em 24 horas
+ AUMENTO
Gasolina sobe pela 8ª semana seguida nos postos, aponta ANP
PAN AMERICANO JUNIOR
Atleta de MS carregará as cores do Brasil no vôlei de praia nos Jogos Pan-Americanos Júnior
LIÇÕES DA BÍBLIA
Prefácio de Deuteronômio
ROTA BIOCEÂNICA
Comissão mista homologa consórcio que vai construir ponte da Rota Bioceânica em MS
CASTELO DE AREIA
Idoso casa com prostituta 35 anos mais nova e flagra com outro
DOENÇA DO SÉCULO
Servidor público é encontrado pendurado em árvore
COVID-19
Ministra de Bolsonaro testa positivo para Covid e cancela agenda em Nova Andradina
ASSUSTADOR
Homem encontra boneca na parede com bilhete misterioso: "obrigada por me libertar"