Menu
SADER_FULL
segunda, 12 de abril de 2021
Busca
Brasil

Alemanha cede abertura do Mundial para o Brasil

13 Set 2004 - 16h05
Mesmo com as Eliminatórias ainda em andamento, a comissão organizadora da Copa de 2006 já divulgou que o Brasil fará o jogo de abertura da competição, no dia nove de junho. Liderados pelo ex-ídolo Oliver Bierhoff, os alemães divulgaram que cedem a abertura do Mundial, estabelecida pela Fifa para a Alemanha, sem qualquer problema.

“Os maiores vencedores da história da Copa poderão abrir a competição sem problemas, nós damos a vaga”, declarou Bierhoff, que também é diretor-esportivo da seleção alemã.Para o ex-atacante, a seleção brasileira não irá enfrentar problemas para conseguir a vaga para a Copa do Mundo de 2006.

O anúncio faz parte de uma série de gentilezas que a Federação Alemã, junto com o Comitê Organizador da Copa, vêm fazendo com a CBF desde a visita de Beckembauer ao país, ano passado. Se a estréia for cedida para o Brasil, a Alemanha entrará em campo apenas três dias após a abertura do torneio.

 

Gazeta Esportiva

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVO CÓDIGO DE TRANSITO
Novo Código de Trânsito entra em vigor na segunda-feira; veja mudanças
LOCKDOWN É A SOLUÇÃO?
Araraquara X Bauru: dois retratos do Brasil com e sem lockdown contra a covid-19
AGRICULTURA SUSTENTAVEL NO MUNDO
II Congresso Mundial de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta deve receber 1 mil inscrições
MORTANDADE
Brasil bate marca de 4 mil mortes por Covid registradas em um dia pela 1ª vez
COPA LIBERTADORES
Santos vence o San Lorenzo na Argentina e abre vantagem por vaga nos grupos da Libertadores
FATALIDADE
Técnico de informática morre após levar choque a partir de fone de ouvido
CANALHA
Pai comete estupro e diz que filha precisa saber "como é ter um homem"
SOB INVESTIGAÇÃO
Cantor gospel e pastor é encontrado morto e amarrado em árvore
CONTAMINAÇÃO
Igrejas superam mercado e consultório médico em risco de transmissão de Covid-19, aponta estudo
CRISE NA PANDEMIA
Número de brasileiros que vivem na pobreza quase triplicou em seis meses, diz FGV