Menu
SADER_FULL
quarta, 23 de junho de 2021
Busca
Brasil

Aids diminui em grandes centros e cresce em cidades menores

26 Nov 2009 - 10h48Por G1

Uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira (26) pelo Ministério da Saúde mostra que o número de casos de Aids começa a crescer em cidades pequenas, enquanto cai nos grandes centros urbanos. Em 1997, a taxa nas cidades com menos de 50 mil habitantes era oito vezes menor que a das cidades com mais de 500 mil. Em 2007, segundo o órgão, a taxa passou para três vezes.

Nos municípios com mais de 500 mil, houve redução da taxa de incidência neste período – de 32,3 casos por 100 mil habitantes em 97 para 27,4 casos por 100 mil em 2007. Ao mesmo tempo, a taxa nas cidades com menos de 50 mil pessoas passou de 4,4 para 8,2. De acordo com o ministério, as cidades maiores são responsáveis por 283.191 casos de Aids (52% dos casos acumulados); as menores por 15,4%. Em 4.867 municípios há pelo menos um caso.

Nos municípios com mais de 500 mil, a maior redução aconteceu em Ribeirão Preto (SP) – queda de 72,5%, seguida por Sorocaba (SP), com 55,3%, e Santo André (SP), com 51,7%. Foram registradas taxas estáveis no Rio de Janeiro, Campinas (SP), Brasília e em outras 12 cidades – incluída ai Porto Alegre, que é a cidade com mais de 50 mil habitantes com maior taxa de incidência de casos (111,5 por 100 mil). Nesse quesito – municípios com mais de 50 mil habitantes –, os 20 primeiros colocados são da região Sul.

O maior crescimento registrado entre 1997 e 2007 foi na cidade de Ananindeua (PA), com 380%. São Luís (272,1%) e Teresina (254,4%) estão logo atrás no ranking.

 

No ranking das capitais, Porto Alegre é líder no número de casos de Aids, seguida por Florianópolis e Porto Velho. Na capital gaúcha, a taxa é quase o dobro da capital catarinense (111,5 por 100 mil, contra 57,4). O Rio de Janeiro está em quarto lugar; São Paulo aparece na 12ª posição; Brasília, na 24ª. Palmas é a última colocada.

Histórico

Entre 1980 e junho deste ano, foram registrados 544.846 casos de Aids no Brasil, com 217.091 mortes neste período. Por ano, segundo o ministério, são notificados até 35 mil novos casos no país. Em relação à infecção pelo HIV, a estimativa é que haja 630 mil pessoas infectadas no país.

Neste período, a região Sudeste concentra o maior percentual de casos (59,3%), seguida pela região Sul (19,2%) e pela região Nordeste (11,9%).

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

JOGOS ONLINE
Expectativas para legalização de jogos de azar movimenta mercado internacional
Policial
Criança de 6 anos sofre trauma de crânio após cair de atração no Beto Carrero World
DOSE ÚNICA
Avião com 1,5 milhão de doses da Janssen chega amanhã, diz ministro
REAÇÃO CERTEIRA
Mulher flagra filha sofrendo estupro e esfaqueia pedófilo
VIOLENCIA DOMESTICA
Menina de 12 anos furta bisavô e leva 10 chibatadas da mãe por ordem do CV
MILIONÁRIO
Aposta única fatura prêmio de R$ 7 milhões da Mega-Sena
AUXILIO POPULAÇÃO
Caixa paga hoje 3ª parcela do auxílio emergencial para nascidos em março
LUTO NA MÚSICA
Cantora gospel que defendia tratamento precoce morre de Covid-19 após ter os pulmões comprometidos
VIDEO
Cliente carrega mangueira sem perceber e bomba pega fogo em posto de combustível de Foz do Iguaçu
AÇÕES DO GOVERNO MS
Reinaldo Azambuja propõe projeto com Itaipu para combater assoreamento nos rios Iguatemi e Amambai