Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 16 de outubro de 2021
Busca
Brasil

91.55% ainda não sabem em quem votar para federal

4 Jul 2006 - 13h50

O alto índice de eleitores indecisos é assustador na disputa pelas oito vagas da Câmara dos Deputados, conforme atesta levantamento feito em junho pelo IPEMS (Instituto de Pesquisa de Mato Grosso do Sul).

Pesquisa espontânea  – aquela em que o eleitor opina sem ter acesso ao cartão-disco com a lista de candidatos) revela que 91.55% das pessoas entrevistadas disseram que "não sabem em quem votar ou não responderam ao questionário para deputado federal".

Na pesquisa do IPEMS, sob o registro de número 09/2006/TRE, 2 mil pessoas foram entrevistadas entre os dias 17 a 25 de junho. A margem de erro é de 2,19% com grau de confiança de 95%.

A prova maior de que a população ainda não se familiarizou com os candidatos é que ao responder o questionário, muitas pessoas citaram políticos que não estão pleiteando a Câmara dos Deputados.

De acordo com os números da pesquisa espontânea do IPEMS, o deputado federal Nelson Trad (PMDB) surge em primeiro lugar com 1.15%, seguido pelo seu companheiro de partido Waldemir Moka, com 1.10%; Antônio Cruz (PP), 0.80%; Vander Loubet (PT), 0.80%; João Grandão (PT), 0.75%; Marçal Filho (PMDB), 0.45%; Waldir Neves (PSDB), 0,45%.

O deputado estadual Dagoberto Nogueira (PDT), que tenta chegar a Câmara, é o sexto, com 0.30% das intenções de voto, empatado com o deputado federal Geraldo Resende (PPS). Em sétimo aparece o ex-prefeito de Sidrolândia, Enelvo Felini (PDT), com 0.25%; Loester Nunes (PDT), com 0.20%; Murilo Zauith (PFL), que não é candidato a reeleição, também tem 0.20% de preferência.

O ex-deputado estadual Pastor Reginaldo (PMDB) também aparece com 0.20%, enquanto que 0.15% votaram na legenda do PT; mesmo percentual obtido pelo ex-deputado federal Manoel Vitório (PT); Zé Brraquiária, 0.15%; Antônio Juliano, 0.10%; Antônio Carlos Biffi (PT), 0.10%; Coronel Walmir, 0.10%; João Lucas, 0.10%; o senador Juvêncio da Fonseca (PSDB), que também não é candidato ao cargo, tem 0.10%; Maria Helena Pereira, 0.10%; o vereador Edmar Neto (PSDB), 0.05%; o ex-deputado Gandi Jamil, aparece com 0.05%; o deputado Londres Machado (PL), que não postula à Câmara, 0.05%; Luiz Pedro Guimarães, 0.05%; Marisa Serrano (PSDB), que também não é candidata à Câmara, surge com 0.05%; Marquinhos (Corumbá), 0.05%; Roberto Orro (PDT), 0.05%; Tânia Garib (PMDB), 0.05%; e Valter Palma, 0.05%.

Escândalos – Analistas consultados pelo site Conjuntura Online acreditam que o elevado índice deve-se a vários fatores, entre os quais, o grau de desconhecimento, já que a grande maioria da população ainda não sabe quais são os candidatos. No entanto, o quadro poderá mudar a partir do início do programa eleitoral de rádio e televisão, previsto para agosto.

Outro fator seria o desinteresse do eleitorado em relação a escolha de seus representantes no Congresso Nacional. A onda de corrupção que eclodiu em Brasília de uns dias para cá, para os analistas, também pode ter inibido a opinião pública.

Um dos escândalos culminou com a instalação da CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) dos Correios e com a mais recente, a CPMI das Sanguessugas, que apura desvio de recursos no setor de saúde pública do País.

 

 

Conjuntura Online

Leia Também

LIÇÕES DA BÍBLIA
Ame o Senhor, seu Deus
BRASIL VERDE
Governadores avançam na criação de consórcio em defesa do desenvolvimento sustentável
LIÇÕES DA BÍBLIA
Estudo adicional
LIÇÕES DA BÍBLIA
Outras imagens
LIÇÕES DA BÍBLIA
Seu povo especial
REVOLTANTE
Vanessa, de 18 anos, é atropelada e morre após reagir a assédio
LIÇÕES DA BÍBLIA
O livro da aliança
PAVOROSO
Acumulador de lixo transforma rua de cidade modelo em paraíso das ratazanas
JOGOS MORTAIS
Escola envia carta aos pais alertando sobre a série 'round 6'
NAUFRÁGIO
Barco naufraga e duas pessoas desaparecem; buscas continuam nesta segunda (11)