Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 27 de janeiro de 2020
SADER_FULL
Busca
BANNER BET
SAUDE

Decreto traz regras que asseguram atendimento integral à saúde da militar gestante e do bebê

Em 17 artigos e vários parágrafos, são especificados os procedimentos no âmbito do exercício das atividades e a participação nos cursos de formação, aperfeiçoamento ou habilitação.

19 Jul 2019 - 07h13Por Portal do MS

Campo Grande (MS) – Decreto assinado pelo governador Reinaldo Azambuja publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) desta sexta-feira (19.7) traz regras que asseguram direitos às mulheres militares da PM e dos Bombeiros gestante, adotante, guardiã legal e lactante. Em 17 artigos e vários parágrafos, são especificados os procedimentos no âmbito do exercício das atividades e a participação nos cursos de formação, aperfeiçoamento ou habilitação.

O Decreto foi editado com a finalidade de garantir às militares do Estado o atendimento integral à saúde da mulher e do bebê, desde o pré-natal até o período de aleitamento materno. Já no parágrafo segundo do artigo 1º, o Decreto diz que “a militar estadual gestante estará desobrigada, mediante apresentação de atestado médico, da realização da Educação Física Militar (EFM) e do Teste de Aptidão Física (TAF)”.

No capítulo II, o Decreto trata da jornada e escala de serviços. Até que a criança complete seis meses de idade, a mãe terá direito, durante a jornada, a 30 minutos de descanso para cada seis horas trabalhadas ou uma hora de descanso para cada 12 horas trabalhadas. E a lactante não poderá trabalhar mais de 12 horas ininterruptas. E nesse período, ela não poderá trabalhar em condições insalubres, perigosas ou penosas.

Traz também um capítulo específico sobre os procedimentos a serem adotados no âmbito dos cursos de formação, de aperfeiçoamento e de habilitação realizados por meio de processo seletivo interno. Um dos benefícios assegurados é que, nesses casos, a militar grávida, puérpera e adotante, terá direito a fazer a rematrícula, para frequentar os cursos posteriormente.

No artigo 15, ficou estabelecido que “para fins de regularização funcional, será autorizada a aplicação das regras contidas neste Decreto às militares estaduais anteriormente impedidas de participar de cursos de formação, habilitação ou aperfeiçoamento, em razão do estado gravídico ou puerperal, vedado, no entanto, o percebimento de pecúnia relativo ao período reconhecido”.

 

Paulo Yafusso – Subsecretaria de Comunicação (Subcom)

Deixe seu Comentário

Leia Também

FAMOSIDADES
Ana Maria Braga revela que foi diagnosticada com câncer de pulmão novamente
CORONAVIRUS
Número de mortos por coronavírus da China chega a 81 e governo prolonga feriado
GLÓRIA DE DOURADOS - LUTO
Glória de Dourados luto, tristeza e dor com a morte de Lupércio Pinheiro
EPIDEMIA ASSUSTADORA
Mortes por coronavírus na China passam de 50
VICENTINA - ALMOÇO NO PESQUEIRO
VICENTINA: Domingo é dia de almoçar no Pesqueiro 7 Bello, confira o cardápio
SUPERAÇÃO
Ser diagnosticado 5 vezes com câncer em 15 anos não foi capaz de parar campeão paralímpico
CASOS RAROS
Duas crianças morrem em uma semana, após sofrer AVC, preocupa classe médica
DOENÇA INFECCIOSA
Presos que estavam sendo 'comidos vivos' por doença são internados
EPIDEMIA
Secretaria de Estado de Saúde chama hospitais privados para orientar sobre dengue,zika e chikungunya
ANIMAL PEÇONHENTO
Escorpião sai de sacola de brinquedo e pica menina de três anos em Campo Grande