Menu
LIMIT ACADEMIA
quarta, 21 de agosto de 2019
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
surto em ms

Catapora faz 1,2 mil vítimas na Capital e MS já teve 38 surtos neste ano

23 Out 2013 - 08h55Por Campo Grande News

Com 1.235 casos de catapora notificados de janeiro até agora, em Campo Grande, a vacinação é fundamental para evitar um surto da doença. Os sintomas são febre, mal estar e as famosas pintas vermelhas espalhadas pelo corpo, que provocam coceira. Altamente contagiosa, a doença atinge, principalmente, as crianças. Neste ano, o Estado já registrou 38 surtos da doença.

No entanto, em adultos a catapora é mais grave por conta do comprometimento do pulmão e do sistema nervoso central, que também pode ocorrer em crianças, embora seja bem menos comum.

De acordo com o médico pediatra, Alberto Cubel Brull, o certo é que ninguém tenha a catapora, doença típica de criança, mas que pode evoluir para uma pneumonia, infecção de pele, alteração cardíaca e no sistema nervoso. Em alguns casos a doença pode levar até a morte.

O médico afirma que a melhor prevenção contra a catapora é a vacina, forma mais segura de prevenir a doença. “Quando aparecer os sintomas, a primeira coisa é procurar um médico, que vai indicar um antialérgico, um antitérmico para febre e uma loção para refrescar a pele”, explica.

No mês passado, o Ministério da Saúde, por meio do Programa Nacional de Imunização, passou a oferecer a vacina varicela, incluído na tetra viral, que também protege contra sarampo, caxumba e rubéola. A imunização, disponível na rede pública, é destinada para crianças de 15 meses, que já tenham tomado a primeira dose da tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola).

Porém quem passou da idade e quiser evitar a doença pode procurar um centro de vacinação particular. A dose custa em torno de R$ 165. “Infelizmente a rede pública não oferece para todo mundo, mas vale a pena investir, pois vai evitar uma doença”, afirma.

Sem saber que existia a vacina para catapora, a serviços gerais Enilce Tavares Fernandes, 33 anos, conta que há poucos dias a filha, Lara Fernandes de Paula, 3, sofreu ao pegar a catapora. “Foi de repente, ela dormiu com algumas bolinhas e de madrugada as pintas já tinham tomado conta do corpo, além da febre alta”, diz a mãe.

A catapora, de acordo com pediatra, começa a contagiar dois ou três dias antes dos sintomas aparecerem e persiste até que todas as lesões estejam secas. A doença é transmitida através das secreções respiratórias liberadas pela saliva.

Os locais de maior contaminação do vírus em crianças são as escolas e creches, por conta disso, Lara ficou 15 dias de repouso em casa. “Ela ficou sem ir para a creche”, relata Enilce, acrescentando que a pequena tinha bolinhas vermelhas até na cabeça.

De acordo com a Sesau (Secretária Municipal de Saúde) em 2012, foram 3.079 casos de catapora notificados em Campo Grande. 

Em todo Estado, no ano passado foram 5.088, com 46 surtos da doença. De janeiro até a última sexta-feira (18) já foram registrados 2.593 casos com 38 surtos, segundo dados da Secretária de Estado de Saúde.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TABAGISMO
Em Jateí, programa de combate ao tabagismo incentiva mudança de hábitos e promove qualidade de vida
DOURADOS - AÇÕES DO GOVERNO DO MS
Dourados recebe pacote de obras de R$ 28,8 milhões na área de saneamento
VICENTINA - ALMOÇO NO PESQUEIRO
VICENTINA: Domingo é dia de almoçar no Pesqueiro 7 Bello, Confira o cardápio
DOURADOS - CAOS NA SAÚDE
Defensoria flagra pacientes renais sem água e comida no Hospital da Vida
SIAMESAS
Mulher dá à luz gêmeas siamesas de 3,700KG as duas
DEODAPOLENSE - TODOS NA TORCIDA
Deodapolense disputa o Babilon MMA 9 na Polônia nesta sexta-feira (16)
ASSUSTADOR
Adolescente carregava um "cadáver" na barriga, com espinha, costelas, cabelo, dentes e órgãos
DESCASO
Grávida é largada em cadeira caindo aos pedaços na capital e nem ouvidoria atende
FÁTIMA DO SUL - NO GRAFITE DE LÁPIS
Para 'driblar' a depressão, Rotniel faz lindas esculturas em grafite de lápis em Fátima do Sul
ALUCIENÓGENO
Video: Vovó fica doidona ao provar acidentalmente maconha do neto