Menu
prefeitura VICENTINA Março 2019
quarta, 20 de março de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
surto em ms

Catapora faz 1,2 mil vítimas na Capital e MS já teve 38 surtos neste ano

23 Out 2013 - 08h55Por Campo Grande News

Com 1.235 casos de catapora notificados de janeiro até agora, em Campo Grande, a vacinação é fundamental para evitar um surto da doença. Os sintomas são febre, mal estar e as famosas pintas vermelhas espalhadas pelo corpo, que provocam coceira. Altamente contagiosa, a doença atinge, principalmente, as crianças. Neste ano, o Estado já registrou 38 surtos da doença.

No entanto, em adultos a catapora é mais grave por conta do comprometimento do pulmão e do sistema nervoso central, que também pode ocorrer em crianças, embora seja bem menos comum.

De acordo com o médico pediatra, Alberto Cubel Brull, o certo é que ninguém tenha a catapora, doença típica de criança, mas que pode evoluir para uma pneumonia, infecção de pele, alteração cardíaca e no sistema nervoso. Em alguns casos a doença pode levar até a morte.

O médico afirma que a melhor prevenção contra a catapora é a vacina, forma mais segura de prevenir a doença. “Quando aparecer os sintomas, a primeira coisa é procurar um médico, que vai indicar um antialérgico, um antitérmico para febre e uma loção para refrescar a pele”, explica.

No mês passado, o Ministério da Saúde, por meio do Programa Nacional de Imunização, passou a oferecer a vacina varicela, incluído na tetra viral, que também protege contra sarampo, caxumba e rubéola. A imunização, disponível na rede pública, é destinada para crianças de 15 meses, que já tenham tomado a primeira dose da tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola).

Porém quem passou da idade e quiser evitar a doença pode procurar um centro de vacinação particular. A dose custa em torno de R$ 165. “Infelizmente a rede pública não oferece para todo mundo, mas vale a pena investir, pois vai evitar uma doença”, afirma.

Sem saber que existia a vacina para catapora, a serviços gerais Enilce Tavares Fernandes, 33 anos, conta que há poucos dias a filha, Lara Fernandes de Paula, 3, sofreu ao pegar a catapora. “Foi de repente, ela dormiu com algumas bolinhas e de madrugada as pintas já tinham tomado conta do corpo, além da febre alta”, diz a mãe.

A catapora, de acordo com pediatra, começa a contagiar dois ou três dias antes dos sintomas aparecerem e persiste até que todas as lesões estejam secas. A doença é transmitida através das secreções respiratórias liberadas pela saliva.

Os locais de maior contaminação do vírus em crianças são as escolas e creches, por conta disso, Lara ficou 15 dias de repouso em casa. “Ela ficou sem ir para a creche”, relata Enilce, acrescentando que a pequena tinha bolinhas vermelhas até na cabeça.

De acordo com a Sesau (Secretária Municipal de Saúde) em 2012, foram 3.079 casos de catapora notificados em Campo Grande. 

Em todo Estado, no ano passado foram 5.088, com 46 surtos da doença. De janeiro até a última sexta-feira (18) já foram registrados 2.593 casos com 38 surtos, segundo dados da Secretária de Estado de Saúde.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DESCASO
Bebê morre após parto feito pelo pai em ambulância sem médico
FAMOSIDADES
Aos 58 anos, atriz Tássia Camargo sofre infarto e está na UTI de Hospital em Portugal
FÁTIMA DO SUL - PARTO HUMANIZADO
Hospital da Sias Desenvolve com eficiência Programa Nacional do Parto Humanizado em Fátima do Sul
AÇÃO SOLIDÁRIA
Médico de Dourados cria projeto para atender população de graça
AÇÕES DEPUTADO JAMILSON
Deputado Jamilson Name propõe corte de ICMS sobre matéria-prima para alimentos
JATEÍ - ARRASTÃO CONTRA A DENGUE
JATEÍ: Vigilância Sanitária pede a população que deixem os portões abertos, arrastão contra a dengue
INTERNADO
Criança de 4 anos cai em poço de cinco metros de profundidade
RESGATADO
Cão abandonado em ilha estava sendo comido vivo por urubus
SEXTUPLOS
Americana dá à luz seis bebês em nove minutos
DIABÓLICO
Momo aparece em vídeos infantis e ensina crianças a se suicidarem