Menu
PASSARELA
sábado, 21 de julho de 2018
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Moderado

Beber socialmente reduz riscos de diabetes tipo 2, indica estudo

Quem bebe de três a quatro vezes por semana tem até 32% menos incidência da doença

28 Jul 2017 - 12h48Por O Globo

LONDRES — Pessoas que bebem de três a quatro vezes por semana são menos propensas a desenvolver diabetes tipo 2 do que aquelas que nunca bebem, sugerem pesquisadores dinamarqueses. O vinho parece ser particularmente benéfico, provavelmente porque ele desempenha um papel importante para ajudar a administrar o açúcar no sangue, informa o estudo, publicado no periódico científico "Diabetologia".

Mais prático. Fornecido em uma caneta aplicadora, medicamento pode melhorar controle do açúcar no sangue quando outros remédios falhamNovo remédio para diabetes deve aumentar adesão ao tratamento, dizem médicos
Agência americana recomenda consumo menor do que 4 a 5 xícaras de café por diaCafé pode aumentar expectativa de vida em nove minutos por dia
Bebidas adocicadas devem ter mais impostos, diz OMSOMS pede que governos aumentem impostos de bebida açucarada
Os pesquisadores chegaram a essa conclusão ao estudar a ingestão de álcool de mais de 70 mil pessoas, analisando o quanto e com que frequência elas bebiam. Entretanto, eles afirmam que isso não significa sinal aberto para beber mais do que o recomendado.
CINCO ANOS DE ESTUDO

Após cerca de cinco anos, os participantes do estudo foram acompanhados, e um total de 859 homens e 887 mulheres apresentaram diabetes — do tipo 2, aquela que é adquirida ao logo do tempo por conta de hábitos e estilos de vida.

Os pesquisadores concluíram que beber moderadamente três a quatro vezes por semana reduziu o risco de diabetes no sexo feminino em 32%, enquanto baixou 27% no sexo masculino, em comparação com as pessoas que beberam menos de um dia por semana.

As conclusões também sugerem que nem todos os tipos de álcool têm o mesmo efeito. O vinho foi o que se mostrou mais benefico. Já quando se trata de beber cerveja, homens com ingestão de uma a seis cervejas por semana reduziram o risco de diabetes em 21%, em comparação com os homens que bebiam menos de uma cerveja por semana — mas não houve impacto no risco das mulheres.

Ao contrário de outros estudos, esta pesquisa não encontrou uma ligação entre o consumo excessivo de álcool e o diabetes.

Janne Tolstrup, do Instituto Nacional de Saúde Pública da Universidade do Sul da Dinamarca, que liderou a pesquisa, disse:

PUBLICIDADE

— Achamos que a frequência de consumo de álcool tem um efeito independente da quantidade de álcool consumida. Podemos ver que é um efeito melhor beber o álcool em quatro porções ao invés de tudo de uma vez — destaca.

Emily Burns, chefe de comunicação de pesquisa Diabetes UK, disse que é preciso cautela porque "o impacto do consumo regular de álcool no risco do tipo 2 será diferente de uma pessoa para a outra".

Embora as descobertas sejam interessantes, ela afirmou que "não recomendaria que as pessoas as vejam como uma liberação para beber em excesso".

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

PROMOÇÃO NA DR. SHAPE DOURADOS
Na compra de um suplemento Maxtitanium Top Whey 3W 900g ganha um BCAA na Dr. Shape Dourados
ACIDENTE FATAL NO BEACH PARK
Acidente no Beach Park, veja como é o brinquedo 'Vainkará' que matou turista
DOURADOS - DR. SHAPE
Destaque do dia: BEST WHEY da Atlhetica de 900g com super desconto na Dr. Shape Dourados
AGORA EM DOURADOS - MS
UNIPAR EAD com cursos de Educação Física, Letras, Marketing e mais 22 cursos, Confira todos aqui
SAUDE
HRPP divulga edital para contratação de 21 profissionais da área da Saúde
MORTE DE BEBÊ
Bebê morre ao ser amamentado com leite contendo com 'combinação letal de drogas'
GLÓRIA DE DOURADOS - LUTO
Morre Marcos Heriberto, o mesmo era pregador da Renovação Carismática Católica em Glória de Dourados
NOVA ONDE DE FRIO
Nova onda de frio chega no dia 20 e sensação térmica fica abaixo de 0ºC
FOI SALVAR O MELHOR AMIGO
Jovem morre afogado após pular em rio para tentar salvar cachorro
ACIDENTE FATAL NAS ESTRADAS
Jovem que morreu ao cair com carro em cratera era advogada de 24 anos