Menu
PASSARELA
domingo, 24 de junho de 2018
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Na Lista de Extinção

PMA de Bataguassu recolhe animal ameaçado de extinção que foi atropelado na MS-395

Tatu-canastra será empalhado e usado em aulas de educação ambiental

11 Out 2017 - 07h42Por Nova News

Policiais militares ambientais de Bataguassu receberam, nesta segunda-feira (09) um tatu-canastra, animal este que está na lista brasileira de espécies em extinção. Ele estava sendo socorrido por populares em virtude de ter sido encontrado atropelado na rodovia MS-395, entre Bataguassu e Anaurilândia, porém, chegou ao quartel já sem vida.

O tatu, que pesa 36 quilos, foi congelado e será encaminhado para Campo Grande, onde será empalhado a fim de servir como material para aulas de educação ambiental, em uma oficina denominada Museu da Fauna.

Segundo a Polícia Militar Ambiental, o canastra é o maior e mais raro dos tatus. Pode medir mais um metro de comprimento, ter mais de 50 centímetros de cauda e pesar até 60 quilos.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

USUARIO DE DROGAS
Jovem admite ser usuário de crack após ser flagrado furtando comércio na área central
ROUBO DE GADO
Polícia Civil identifica e prende acusados de furto de gado na região de Nova Andradina
DESCASO
Após dias abandonado, cavalo morre em frente a pátio de Prefeitura em Batayporã
ASSASSINATO
Irmão de jovem assassinado a tiros em Nova Andradina é preso em Vila Amandina
ACIDENTE NA RODOVIA
Colisão entre duas carretas é registrada na BR-267, entre Nova Casa Verde e Nova Alvorada do Sul
TOMBOU NA CURVA
Caminhoneiro é resgatado de ferragens após acidente entre Piraporã/Douradina
MOTORISTA SUMIU
Veículo de grande porte “arranca” fiação elétrica, e deixa moradores às escuras em Nova Andradina
INVESTIMENTOS DO GOVERNO MS
Ação do Governo MS resulta em cobertores que serão doados a famílias carentes de Anaurilandia
TRAFICANTE
Acusado de tráfico é preso após desacatar policiais e cuspir em rosto de soldado da Força Tática
CONTRABANDO
PM de Ipezal apreende mais de cinco mil itens importados ilegalmente do Paraguai