Menu
SADER_FULL
segunda, 18 de junho de 2018
PASSARELA
Busca
DR. SHAPE
Lava "devagar"

PF dissolve grupo que se dedicava exclusivamente à Lava Jato

Força-tarefa vai se integrar à Delegacia de Combate à Corrupção. Procuradores da força-tarefa criticaram duramente a decisão.

7 Jul 2017 - 07h04Por Jornal Nacional

A Polícia Federal dissolveu o grupo de delegados que se dedicava exclusivamente à Operação Lava Jato, em Curitiba. Procuradores que integram a força-tarefa criticaram duramente a decisão anunciada nesta quinta-feira (6).

Os quatro delegados que atuavam só na Lava Jato em Curitiba passam agora a também integrar a Delegacia de Combate à Corrupção e Desvio de Verbas Públicas - um setor que faz parte da estrutura da PF. Ou seja, eles deixam de investigar exclusivamente casos ligados à operação.

O procurador da Lava Jato Carlos Fernando dos Santos Lima disse na quarta (5) nas redes sociais que a força-tarefa da Polícia na Operação Lava Jato deixou de existir e que não há verbas para trazer delegados.

Em uma entrevista coletiva nesta quinta (6), o coordenador da Lava Jato na Polícia Federal em Curitiba negou que seja o fim da operação, mas admitiu o fim da exclusividade de policiais nas investigações da Lava Jato.

A Polícia Federal afirmou que agora outros 70 policiais da delegacia poderão trabalhar na Lava Jato, além de 14 peritos.

“A ideia do procedimento não foi, em momento algum, prejudicar a investigação, pelo contrário. Na prática, nós temos um recurso pessoal hoje que é inimaginável se você comparar com outras unidades que estão trabalhando na Lava Jato também. O Rio de Janeiro não tem nem perto disso aqui, Brasília não tem perto disso aqui, São Paulo não tem. Esse aqui é o maior grupo de investigação que tem hoje atuando no Brasil”, disse o delegado da PF Igor Romário de Paula.

A PF afirma que as mudanças foram feitas porque o volume de trabalho em Curitiba diminuiu e a Lava Jato se espalhou pelo país. Há investigações em andamento em 16 estados e no Distrito Federal. Depois da coletiva, os procuradores que integram a força-tarefa da Lava-Jato divulgaram uma nota em que fizeram duras críticas à decisão anunciada nesta quinta-feira.

A nota afirma que a dissolução do Grupo de Trabalho da Lava Jato na Polícia Federal prejudica as investigações e lembra que a operação apura uma corrupção bilionária praticada por centenas de pessoas incluindo ocupantes atuais e pretéritos de altos postos do Governo Federal.

A força-tarefa também afirma que a integração na Polícia Federal do Grupo de Trabalho da Lava-Jato à Delegacia de Combate à Corrupção, depois da redução do número de delegados a menos da metade, prejudica as investigações da Lava Jato e dificulta que elas prossigam com a eficiência com que se desenvolveram até recentemente.

Segundo os procuradores, o efetivo da Polícia Federal na Lava Jato não é adequado à demanda e a distribuição das investigações e a ausência de exclusividade prejudicam a especialização do conhecimento e da atividade, o desenvolvimento de uma visão do todo e a descoberta de interconexões entre as centenas de pessoas investigadas.

O Ministério Público declara que a medida anunciada nesta quinta (6) pela Polícia Federal é um retrocesso.   

Ministério da Justiça não respondeu ao contato do Jornal Nacional e a Polícia Federal no Paraná não quis se manifestar.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MS FORTE
Mato Grosso do Sul bate recorde na contratação do FCO em cinco meses de 2018
DO GABINETE DO DEPUTADO
Vereadores de Alcinópolis apresentam reivindicações a Onevan de Matos
AÇÕES EDUARDO ROCHA
Em inauguração da nova maternidade do HNSA de TL, Eduardo Rocha enfatiza importância da instituição
ELEIÇÕES 2018 - ARTICULAÇÕES
PSDB confirma dois aliados e mostra conversas com mais quatro partidos
VICENTINA 31 ANOS - FOTOS CAMARIM
Veja as FOTOS do Camarim e público do show de Henrique e Diego nos 31 anos de Vicentina
VICENTINA - 31 ANOS - HOMENAGENS
Vicentina: 'Lágrimas e lembranças' marcam abertura e denominação de Centro de Eventos Débora Arriero
VICENTINA - 31 ANOS - FOTOS SHOW
Confira as FOTOS do Camarim e show do Trio Parada Dura em Vicentina
GOVERNO DO MS INVESTINDO NA REGIÃO
Em Batayporã e Anaurilândia, Azambuja destaca parceria com municípios: "governo não tem partido"
INVESTIMENTOS DO GOVERNO MS
Cumprindo agenda na região, governador libera mais R$ 7,3 milhões em Anaurilândia
ATENTADO
Governador mantém visitas mas cancela ida até Paranhos