Menu
LIMIT ACADEMIA
sexta, 23 de agosto de 2019
SADER_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Campo Grande

Bernal volta atacar vereadores e nega irregularidades na prefeitura

4 Nov 2013 - 15h19Por Campo Grande News

Na véspera de entrega do relatório que pode "absolver" ou ampliar a investigação da Comissão Processante na Câmara Municipal, o prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP) voltou a dizer hoje que “não existe ato ilícito na gestão”. Ele voltou a atacar os vereadores de oposição, que são maioria no legislativo, e até provocou ao cumprimentar apenas os "bons" parlamentares. 

“Quinta-feira, mais uma vez, foi enviado o protocolo para comprovar que não existe nenhum ato ilícito na gestão. O que existe é um grupo que perdeu a eleição não aceita e vive criando situação ao invés de ajudar. Paremos com essa situação para que eu possa seguir em frente trabalhando” disse Bernal no programa Refazenda, da FM Cidade 97,9.

Mesmo negando irregularidades, o prefeito foi condenado na semana passada pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado) por atos financeiros em sua gestão, além de ter determinada a sustação (suspensão) do contrato de fornecimento de combustível com o Posto Emanuele Ltda. A empresa Megaserv também teve o contrato avaliado, onde ficou determinado que a empresa “não se enquadra na forma de recolhimento de impostos e contribuições previstas para o Simples Nacional” e precisa regularizar sua situação junto a Receita Federal.

A decisão do colegiado também considerou irregulares ou ilegais outras três situações investigada pela Inspeção Extraordinária e aplicou multa de 1.800 Uferms (R$ 31,3 mil) ao chefe do Executivo municipal de Campo Grande. Além disso, determinou uma nova devassa em contratos firmados por Bernal durante a decretação de situação de emergência por causa da dengue.

Dois lados – Para a oposição, o resultado do TCE “chancelou” os trabalhos da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Calote e devem integrar os documentos em análise pela Comissão Processante.

Presidente da CPI, Paulo Siufi (PMDB), já declarou que sempre houve convicções “de que haviam irregularidades e que foram feitos contratos e licitações de forma irregular”. Com a decisão do órgão fiscalizador, Siufi aponta para indícios suficientes para uma “ação mais contundente da Justiça, do Ministério Público”.

Por outro lado, o líder do prefeito Marcos Alex (PT) acredita que não se pode tomar uma “leitura radical” da decisão tomada pelo TCE e ressalta que ainda há grau de recurso da decisão. “Não se pode usar isso como motivo para cassação”, pontuou o petista.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MIRANDA - MS - NOVAS ELEIÇÕES
TRE define data para nova eleição em Miranda (MS)
POSSE DE ARMA
Posse de arma em toda extensão da fazenda é aprovada e segue para sanção
PROCESSO SELETIVO NO MS
Prefeitura abre processo seletivo com oito vagas e salário de R$ 3,2 mil em MS
POLEMICA II
Após polêmica, deputado diz que não existe PL de poliamor ou casamento entre mães e filhos
MIRANDA
TRE afasta prefeita acusada de compra de votos e convoca novas eleições
POLÊMICA
Vale Tudo: projeto libera casamento entre mães e filhos e revolta MS
NAVIRAÍ - AÇÕES ONEVAN DE MATOS
Justiça do Trabalho acolhe pedido de Onevan e inclui escola de Naviraí em programa
100 PENA
'Não tem que ter pena', diz Jair Bolsonaro sobre uso de atirador de elite após sequestro de ônibus
BOA NOTICIA
Hotel Campo Grande deve virar 260 apartamentos para famílias carentes
LEI ABUSO DE AUTORIDADE
Promotores e juízes protestam em Campo Grande contra 'mordaça' aprovada no Congresso