Menu
LIMIT ACADEMIA
terça, 19 de fevereiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
investigação

Suspeitos de matar ex-delegado de Naviraí podem ter cortado braços e cabeça de amigo

26 Set 2013 - 07h25Por Campo Grande News

Os suspeitos de executar o ex-delegado aposentado de Naviraí, Paulo Araújo Magalhães, 57 anos, no dia 25 de junho, em Campo Grande, podem ter cometido outro crime brutal logo após o primeiro assassinato. Segundo a Polícia, existe a hipótese de que José Moreira Freires, 40 anos, vulgo Zezinho e Antônio Benitez Cristaldo, 37 anos, sejam os responsáveis pela morte de Rafael Leonardo dos Santos, 29 anos, também envolvido na execução do delegado. Ele foi encontrado sem a cabeça e os braços.

Por conta da suspeita, eles foram interrogados novamente e, segundo o advogado de Freires, Renê Siufi, ambos negaram a participação do crime. “Falo em nome do meu cliente, interrogado sobre o fato. Ele negou a todo o momento e acho que a Polícia tenta o caminho mais curto, pois não tem provas”, comenta o advogado.

Além da oitiva, a eles novamente foi oferecido à delação premiada, quando os suspeitos recebem benefícios, caso queiram colaborar com a investigação policial. O guarda municipal José Moreira e o seu comparsa estão nos 20 dias de prisão temporária, que pode ser convertida em preventiva. “Estou esperando encerrar o prazo para pedir o Habeas Corpus”, fala Siufi.

As investigações seguem sob Segredo de Justiça, porém até o momento os policiais sabem que a execução de Rafael, no qual teve braços e pernas arrancados, sendo o corpo ainda abandonado perto do lixão da Capital, ocorreu há aproximadamente cinco dias após a morte do delegado.

A Polícia ainda investiga as ligações dos envolvidos, com a quebra de sigilo telefônico. No dia 5 de setembro, José e Antônio foram identificados como pistoleiro e comparsa na fuga, sendo indiciados pelo homicídio qualificado por emboscada, uso de arma de fogo e motivo fútil.

Desde o início das investigações, de acordo com a Polícia, denúncias anônimas apontavam para o trio, porém a força tarefa de delegados ainda contou com a quebra de sigilo telefônico, bancário e a identificação da moto para chegar até os responsáveis pelo crime.

O assassinato de Rafael, com requintes de crueldade, teve o objetivo de dificultar a identificação. Além disso, a execução pode ter o objetivo de ser “queima de arquivo”, ou para “mandar um recado” para alguém, conforme disse a Polícia.

Nova fase

Com a prisão, a Polícia entra agora em uma 2ª fase da investigação, na intenção de descobrir a “possível recompensa dos envolvidos, bem como o que eles fizeram com o dinheiro ilícito e quem seria o mandante do crime.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AGORA: OPERAÇÃO FANTOCHE
Polícia Federal está na sede da Fiems para buscas da Operação Fantoche
PCC/COMANDO VERMELHO
Adolescente estrangulado com corda foi morto em guerra de facções
BRIGA EM PRESIDIO
Detento tem olho perfurado depois de briga em cela de presídio
MARACAJU
Colisão entre dois caminhões na MS 162 saída para Sidrolândia
DOURADOS - CIFRA NEGRA
Justiça autoriza desocupação do gabinete de Idenor e viagem de Longhi em Dourados
ACIDENTE FATAL
Adolescente é atropelada quando levava pai em cadeira de rodas, veja o vídeo
VIOLENCIA DOMESTICA
'Não consigo reconhecê-la', diz irmão de mulher espancada no 1° encontro
INFANTICIDIO
Adolescente é acusada de matar sua filha de 21 dias em Nova Andradina
FRONTEIRA VIOLENTA
Dono de bar e executado a tiros por pistoleiros em Ponta Porã.
FACÇÃO CRIMINOSA
Suposto integrante de facção criminosa morre em tiros com a polícia em inquilinato no MS