Menu
SADER_FULL
domingo, 15 de setembro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
esquema derrubado

Polícia Militar prende 23 por fraude no vestibular de Medicina da Uniderp na Capital

Candidatos foram flagrados com ponto eletrônico; aprovação custaria entre R$ 1,5 mil e R$ 30 mil

11 Nov 2013 - 07h41Por Correio do Estado

Vinte e três pessoas foram presas ontem (10) acusadas de fraudar o vestibular para Medicina da Universidade Anhanguera/Uniderp, em Campo Grande. Entre os detidos estão um menor, dois sul-mato-grossenses e dois alunos que já cursavam Medicina em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia. Os outros vieram de estados, como Pará, Minas Gerais, Goiânia e Mato Grosso. De acordo com a polícia, eles pagariam de R$ 1,5 mil a R$ 30 mil à quadrilha de fraudadores caso fossem selecionados. Os candidatos utilizaram escutas eletrônicas e celulares, pelos quais recebiam mensagens com as respostas. Uma das mensagens chegou a alertar o aluno sobre o flagra: “Tira da orelha (o ponto) agora! Tira! Tem gente olhando na saída!”.

O primeiro flagrante foi feito por um fiscal da universidade. O rapaz informou que era brasileiro, mas que cursava o 9º ano de Medicina na Bolívia e teria adquirido o equipamento eletrônico por R$ 300. Se fosse aprovado, pagaria outros R$ 1,5 mil. Depois, foi feito pente fino nas salas, daí as 23 prisões. “No depoimento, o primeiro detido disse que uma amiga também estava usando o ponto. Ela foi identificada e nos informou que recebeu uma oferta em Marília (SP) e por meio do Facebook manteve contato com a pessoa que ajudaria na fraude”, disse o tenente da Polícia Militar, Fernando da Costa Neves.

A garota informou à polícia que a pessoa que a abordou se identificou apenas como Thainara e que ela teria um amigo com meios de fraudar o vestibular de medicina. Ela pagaria o valor combinado e um taxista entregaria o ponto na rodoviária de Campo Grande. “Soubemos que várias pessoas também foram abordadas ao chegar na cidade, ao descer no aeroporto, rodoviária e táxis”, conta o tenente. Os 23 estudantes foram ouvidos pelo delegado da Depac Centro, Geraldo Marim Barbosa que arbitrou fiança de três salários mínimos (R$ 2.034).

Durante a abordagem policial, quatro pessoas tiveram que ser levadas ao Posto de Saúde do Bairro Guanandi para a retirada dos pontos, já que, na possibilidade de serem pegos, tentaram esconder o aparelho apertando-o contra o tímpano. Os transmissores estavam escondidos nas partes íntimas dos candidatos, segundo a polícia.

Nota
De acordo com a assessoria de imprensa da Uniderp, “a Universidade utiliza vários procedimentos para evitar qualquer tipo de fraude, do início ao fim do vestibular. Uma equipe de fiscais foi treinada para monitorar possíveis fraudes”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CASO DE POLÍCIA
Catador de reciclável recebe mochila com bebê congelado dentro
LUTO NA MÚSICA
Cantor sertanejo morre após carro bater em árvore em rodovia de MS
A MULTA FOI POUCO
PMA autua homem por matar filhotinho envenenado
ACIDENTE FATAL
Câmera de segurança registrou acidente fatal de enfermeira. VEJA O VÍDEO
MUNDO MEDONHO
Idoso é expulso de asilo após esconder prostituta embaixo da cama
MONSTRUOSIDADE
Homem que matou mãe e filha em Cascavel escreveu carta. Bebê tomou mamadeira “batizada”
ESTUPRO DE VULNERÁVEL
Mulher e marido são presos suspeitos de estuprar menina de 11 anos que dormia na casa deles
FATALIDADE
Menina de 2 anos mata a mãe ao fechar janela de carro e prender o pescoço dela
JATEI - CARRETA DA JUSTIÇA
Carreta da Justiça estará em Jateí nesta segunda feira, 16
CRIME ARQUITETADO
Empresário é assassinado na fronteira; bandidos seguem foragidos