MEGA_OKA_CARROS_
FatimaNews - Notícias de Fátima do Sul e região
Fátima do Sul, 19 de Outubro de 2017
DELPHOS_FULL
13 de Junho de 2017 08h16

PM diz que matou garoto para se defender e irá responder em liberdade

Autor do disparo que matou o adolescente

Autor do disparo que matou o adolescente Luiz Junior Souza, de 17 anos, um policial militar de 31 anos, identificado apenas como Fernandes, se apresentou à polícia nesta segunda-feira (13). Ao delegado responsável pelo caso, o policial, que é cabo da PM, afirmou que agiu em legítima defesa. Ele irá responder ao processo pela morte do garoto em liberdade.

Conforme o delegado Jairo Mendes, da 5ª delegacia de Polícia Civil, o cabo afirmou que participava da festa, realizada na Chácara República, na madrugada de sábado (10), quando ouviu um disparo de arma de fogo. Ao sair para ver o que era, se deparou com dois homens armados, um deles era o adolescente.

O policial disse que se identificou como PM e sacou a própria arma, exigindo que os dois jovens abaixassem os revólveres que tinham em mãos. Um deles teria abaixado a arma, no entanto, o garoto teria apontado o revólver contra ele e atirado por duas vezes. “Ele disse que então atirou uma vez e acabou acertando o garoto”, explicou o delegado.

Ainda conforme Mendes, o policial disse que só não ficou no local da morte, porque ouviu populares dizerem que o garoto era 'amigo de bandidos perigosos'. “Ele afirmou que entrou no próprio carro e iria vir direto para a delegacia, mas, ligou para seu advogado antes, que o orientou a ir para casa e se apresentar somente hoje (segunda-feira)”, contou a autoridade policial.

O delegado afirma que apesar desta versão, o policial irá responder por homicídio doloso, e só ficará em liberdade, pois se apresentou por livre e espontânea vontade e não tem antecedentes criminais, além de ou outros requisitos que justifiquem a prisão.

Policial é homem de camisa azul, deixando delegacia. (Foto: Adriano Fernandes)Policial é homem de camisa azul, deixando delegacia. (Foto: Adriano Fernandes)

O policial chegou a delegacia acompanhado do advogado Amilton Ferreira. O depoimento durou cerca de 1h30. Ele deixou o local sozinho e não quis conceder entrevista à imprensa.

O delegado do caso disse que irá ouvir outras testemunhas do crime e aguarda laudos necroscópicos sobre o caso. O inquérito deve ser concluído em 30 dias.

“Ainda não sabemos o que motivou a confusão, se foi por conta de uma briga ou fato anterior a festa, entre os dois rapazes armados. O que se sabe é que houve essa confusão, então vamos investigar para tentar solucionar a logística do crime”, disse Jairo Mendes.

Comentários
Veja Também
FÁBRICA_CALÇADOS
REINO_MATRÍCULAS_2017
LIMIT ACADEMIA_BOTTON
Últimas Notícias
  
Nossa_Lojas
Eventos
dothCom © Copyright FatimaNews - Todos os Direitos Reservados.