Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 11 de novembro de 2019
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
DOENÇA DO SÉCULO

Pai de criança morta após parto escondido, queria abortar bebê, em Dourados

Mãe que matou bebê está com depressão pós-parto, conforme médico

29 Out 2019 - 06h53Por Dourados News

A manicure de 21 anos, que matou o bebê logo após dar à luz, estaria com depressão pós-parto e o pai da criança sugeriu o aborto, o que teria agravado a condição da jovem mãe. É o que concluiu a Polícia Civil de Dourados, que acaba de fechar o inquérito do caso.

“Segundo o que o médico prescreveu no laudo clínico, ela está acometida de depressão pós-parto. Ela está ‘fora do ar’. Ela alterna, lembra, não tive inclusive condições de interrogá-la. Ela agiu imbuída disso quando fez o que fez. Aos médicos ela disse que não tentou matar, tentou apenas cortar o cordão umbilical, mas é evidente que ela não agiu em juízo perfeito”, contou o delegado Wiston Ramão Albres Garcia ao site Dourados News.

Indiciada pelo óbito da criança, que nasceu com 3,3 quilos, a mulher segue internada na ala psiquiátrica do Hospital Universitário da UFGD. No primeiro momento, ela foi autuada em flagrante por homicídio qualificado, com pena que pode chegar até 30 anos de detenção, mas a informação sobre o quadro clínico dela pode atenuar a pena.

“Ela continua presa, o crime ocorreu, porém a pena desse tipo de crime, considerado semi-inculpável, é de dois a seis anos. Ela tinha uma consciência, mas não tinha. É como quem comete suicídio em um estado profundo de depressão”, explicou o delegado, conforme o site local. 

Mãe solteira de uma menina de 3 anos, a manicure mora com os pais e duas irmãs adultas. Ela tinha muito medo de ser rejeitada pela família e conseguiu disfarçar a gravidez utilizando faixas. Há cerca de três meses, segundo o Dourados News, a mãe da jovem teria desconfiado, mas ela disse ter engordado de forma natural. 

“Ela tinha medo da mãe não aceitar o fato dela estar grávida mais uma vez sem a presença do pai da criança. A mãe falou que em nenhum momento houve conversas sobre expulsá-la de casa. O médico garantiu que ela já vinha sofrendo de depressão há um tempo, inclusive tendo atentado contra a própria vida ingerindo grande quantidade de remédios”, disse Wiston.

O pai

O pai da criança, conforme apurou o 1° Distrito Policial, mora em outra cidade. Não foi possível identificá-lo, mas ele teve um ou dois contatos com a jovem mãe. “Ele falou para ela que não iria assumir o filho, sugerindo que ela abortasse. Inclusive sugeriu a pagar o aborto, mas ela se negou e disse que levaria a gravidez até o fim”, afirmou o delegado. 

O laudo do IML (Instituto Médico Legal) apontou a causa da morte por asfixia mecânica, causada pelo enforcamento com o cordão umbilical. A mãe teria puxado com força o cordão na tentativa de arrebentá-lo, tirando também a placenta do interior do corpo dela, mas realizando o procedimento de forma inadequada, causou a morte da criança. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS - ACIDENTE FATAL
Motorista morre ao bater de frente com carreta em Dourados
EXECUÇÃO
Carpinteiro de 43 anos é morto com 2 tiros no peito na casa do irmão
MORTE NO TRANSITO
Imprudência no trânsito deixa um morto e famílias feridas em acidentes
CHAMAR A ATENÇÃO
Mulher tira fotos sem roupa em estrada e causa confusão na net - FOTOS
TRAGÉDIA
Homem e bebê seis meses morrem após carro cair de ponte, quatro feridos
GLÓRIA DE DOURADOS - RECUPERADOS
PRF recupera Corolla e Ranger durante fuga para o PY, veículos roubados em Glória de Dourados
BARBÁRIE
Famoso historiador russo é preso após matar aluna; braços da mulher foram encontrados em mochila
FEMINICIDIO
Homem é preso acusado de matar namorada de 16 anos após crise de ciúmes
CRIME PASSIONAL
Após ser presa, jovem diz que esfaqueou mulher a mando do marido
ALTA VELOCIDADE
Motociclista bate em traseira de caminhonete e morre em Ponta Porã