Menu
SADER_FULL
RIO_DOURADOS
Busca
SUCURI_MEGA
PROGRAMA NÃO PAGO

Médico não paga programa de R$ 1 mil e travesti procura delegacia

Cartão não teria passado

7 Jun 2017 - 07h46Por MÍDIA MAX

O acerto de um programa inicialmente por R$ 300 e depois elevado a R$ 1 mil virou confusão na cidade de Três Lagoas distante 338 quilômetros de Campo Grande. O cliente, um médico, não pagou pelo programa.

A vítima uma travesti disse que teria conhecido o médico pelo Tinder, aplicativo de relacionamentos, quando eles combinaram um programa pelo valor de R$ 300. O encontro foi marcado, mas o médico não teria aparecido, momento em que ela o teria avisado que estava desmarcando o encontro já que teria de atender outros clientes.

Após algumas horas o médico voltou a ligar oferecendo o valor de R$ 1 mil para se encontrar com a travesti e fazer o programa. Os dois se encontraram e no momento de acertar o serviço o cartão do cliente não passou.

Ele disse que a pagaria no dia seguinte, mas desapareceu não atendendo suas ligações. A travesti procurou a delegacia de polícia para registrar um boletim de ocorrência por outras fraudes, segundo o site Rádio Caçula.

Deixe seu Comentário

Leia Também

IRREGULARIDADES
MPF cobra R$ 22 milhões de Puccinelli e dois ex-secretários por falta de investimentos na saúde
Fatalidade
Trabalhador morre eletrocutado em propriedade rural
Tragedia
190km/h: Motorista e passageiro morrem em grave acidente
Macabro
Até ser descoberto, homem pedia marmita para o pai morto
Perdeu o controle da direção
Caminhão bitrem carregado com 38 toneladas de soja tomba na MS-480
Agressão
Ex-marido toma celular, quebra o chip e agride a ex-mulher em Deodápolis
Lei Islamica
Casais apaixonados e prostitutas são punidos com chicotadas em público
DEODÁPOLIS - CASO DE POLÍCIA
DEODÁPOLIS: DOF faz grande apreensão de armas e munições contrabandeadas do Paraguai
Assalto a ônibus
Tiroteio durante assalto dentro de ônibus deixa três mortos e quatro feridos
GLÓRIA DE DOURADOS - Perseguição
Policiais prende homem por porte de munições após fuga em Glória de Dourados