Menu
LIMIT ACADEMIA
sexta, 18 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
na capital

Gêmeos e professor são presos em flagrante tentando fraudar concurso da Polícia Civil

A polícia prendeu neste domingo, irmãos gêmeos Diogo Feliciano Rodrigues e Thiago Feliciano

21 Out 2013 - 08h25Por Mídia Max

A polícia prendeu neste domingo, irmãos gêmeos Diogo Feliciano Rodrigues e Thiago Feliciano Rodrigues, 27, e o professor Waldemir Ribeiro Acosta, 35, que tentavam fraudar a prova do concurso da Polícia Civil em Campo Grande. Conforme informações de testemunhas que realizaram provas na Uniderp, os dois saíram em uma viatura do Garras. Os gêmeos estavam sendo investigados, uma vez que já haviam sido flagrados tentando fraudar o concurso da Polícia Militar no início de outubro.

A delegada da Dedfaz (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Defraudações, Falsificações, Falimentares e Fazendários), Ariene Murad Cury, informou que os irmãos estavam sendo monitorados desde o início de outubro, porque já haviam sido flagrados tentando fraudar o concurso da Polícia Militar.

“Há um inquérito contra eles, designado pelo Delegado Geral Jorge Razanauskas por tentativa de fraude no concurso da PM. Até então não sabíamos o modus operandi deles, até obtermos a confissão”, conta.

Conforme a delegada, os gêmeos contrataram um professor que tinha a inscrição paga pelos irmãos, para fazer a prova e sair no primeiro horário, levando o caderno de questões. De posse desse caderno, Waldemir transmitia as respostas do concurso via SMS por celular.

O flagrante da tentativa de fraude foi feito durante a prova. A delegada conta que os gêmeos usavam apenas as carcaças dos aparelhos, sem bateria e sem teclado, para ficarem fininhos e não serem percebidos. Os telefones foram pegos escondidos nas mangas das camisas usadas pelos suspeitos.

“Nós já vínhamos monitorando os dois. E em dado momento da prova eles começaram a ficar muito nervosos, mexendo na manga da camisa e com comportamento suspeito. Então os fiscais os retiraram da sala e foi quando a polícia encontrou os aparelhos escondidos sob as mangas das camisas de manga comprida com respostas para todas as questões de 1 a 80”, disse Ariene.

Os irmãos foram presos na Uniderp e o professor em casa, na Vila Progresso, em Campo Grande. Durante interrogatório os gêmeos confessaram ter contratado o professor Waldemir por R$ 500. Dos três presos apenas Thiago tinha passagem na polícia por lesão corporal dolosa.

A delegada arbitrou fiança em cinco salários míninos ou R$ 3.390 para cada um dos envolvidos. Entretanto, segundo ela, os rapazes informaram não ter o valor para pagar pela saída. Eles estão detidos e serão encaminhados para a Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos) ainda neste domingo.

Caso eles não paguem fiança ficam presos por interesse da Justiça até que alguém tente a saída deles por meio do judiciário. O pai dos gêmeos esteve no local para tomar ciência e acompanhar o caso. O professor também está preso na mesma delegacia. Eles foram enquadrados pelo crime de fraude em certame de interesse público.

Wendy Tonhati
Celulares pegos com os trio que tentava fraudar a prova da polícia civil em Campo Grande

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRIGA DE FAMILIA
Discussão familiar termina com morte
AÇÕES DO GOVERNO DO MS
Ações do Governo melhoram a segurança no MS: 16 municípios não registraram nenhum homicídio em 2018
ACIDENTE GRAVE
Homem fica em estado gravíssimo após acidente entre moto e carro em Dourados
CURTO CIRCUITO
Incêndio deixa casa completamente destruída na Avenida Ivinhema
FÁTIMA DO SUL E CAARAPÓ - POLÍCIA CIVIL
Ação conjunta da PC de Fátima do Sul e Caarapó prendem em flagrante filho que extorquia própria mãe
FACÇÃO CRIMINOSA
Chico Gimenez, ex candidato a prefeito, é assassinado dentro de casa
SATÂNICO
Mulheres são presas acusadas de torturar criança de apenas dois anos que teve rosto desfigurado
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem atira em esposa e se mata com granada
DOURADOS
SIG identifica todos os envolvidos em assassinato de interno do semiaberto
CORRUPÇÃO NO FUTEBOL
Ex-presidente do Naviraiense é condenado por desvio de dinheiro