Menu
PASSARELA
sábado, 21 de julho de 2018
SADER_FULL
Busca
DR. SHAPE
Crueldade

Conclusão: Kauan foi morto por um pedófilo enquanto era violentado, diz polícia

Criança teria sido morta no mesmo dia que desapareceu e o corpo jogado no córrego

23 Jul 2017 - 07h33Por Midiamax
A polícia civil parece ter chegado a um desfecho do caso do desaparecimento do menino Kauan Andrade Soares dos Santos, de 9 anos, que sumiu no último dia 25 de junho. O depoimento de um dos suspeitos presos revela que a criança foi morta no mesmo dia em que desapareceu, enquanto era violentado por um pedófilo.
 
O delegado Paulo Sérgio Lauretto, titular da Depca (Delegacia de Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), que já havia revelado que um dos suspeitos confessou o assassinato, um adolescente de 14 anos, confirmou a versão dada sobre o homicídio.
 
Segundo Lauretto, o adolescente, já apreendido, contou que atraiu Kauan na noite do dia 25 de junho para a casa de um pedófilo, de 38 anos, também já preso preventivamente, no Bairro Coophavila. A criança teria falecido enquanto era violentada.
 
Durante o abuso sexual, praticado pelo suspeito de 38 anos, o menino sangrou e começou a gritar por socorro, sendo segurado pelo adolescente, e pelo próprio agressor, que tapou a boca da criança, que desmaiou.
 
A perícia já encontrou sangue no colchão e no chão da casa do homem, que podem ser de suas vítimas, já que a presença de crianças seria constante no local.
 
Com Kauan desfalecido, não se sabe ainda se desmaiado ou já sem vida, os suspeitos colocaram o corpo do menino em saco plástico e ‘desovaram’ no Córrego Anhanduí, por volta da 1hr da manhã do dia 26 de junho.
 
O próprio adolescente que atraiu a criança para a casa do suspeito já tinha sido abusado pelo homem de 38 anos, ainda não identificado pela Polícia Civil.
 
Na casa do suspeito os policiais encontraram fotos e vídeos de pornografia infantil, e outras duas vítimas, tambem crianças que estariam em situação de vulnerabilidade, foram identificadas durante as investigações do desaparecimento de Kauan.
 
Nem mesmo as famílias das vítimas sabiam dos abusos. O adolescente disse que o homem prometia dinheiro às crianças que encontrava na rua, e segundo ele, no dia que sumiu Kauan estava guardando carros em um estabelecimento no Bairro Coophavila.
 
O delegado Paulo Sérgio Lauretto também revelou que os Bombeiros encontram um saco plástico com vestígios de cabelo, que podem ser de Kauan, o que ainda não foi confirmado.
 
O homem suspeito de ser pedófilo foi preso ontem, sexta-feira (21), no começo da tarde, pouco antes do início das buscas pelo corpo do menino. Ele está preso preventivamente pelos crimes de estupro de vulnerável, exploração sexual infantil, e em flagrante po armazenamento de pornografia sexual infantil, e deve responder posteriormente por homicídio e ocultação de cadáver.
 
O suspeito de 38 anos nega o envolvimento no crime e a presença de crianças em sua casa.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ANGÉLICA - ACIDENTE
ANGÉLICA: Motociclista fica ferido após colidir em vaca
FÁTIMA DO SUL - MAIS UM ACIDENTE
Vereadora e família sofrem acidente, e carro fica destruído em Fátima do Sul
CAPITAL
Motociclista morre após sofrer graves ferimentos em acidente na Costa e Silva
OPERAÇÃO LAMA ASFÁLTICA
Prisão de Puccinelli faz 24 h com noite 'tranquila' e sem pedido de liberdade
CAARAPO
Ação conjunta prende trio suspeito de roubo a joalheria
VIOLENCIA
Após bebedeira, casal se desentende e mulher é esfaqueada em Bataguassu
PREJUIZO
Em fato inusitado, carreta em movimento carregada com plumas de algodão pega fogo na BR-267
BURACO NA PISTA
Após desviar de buraco, taxista perde controle e capota veículo às margens da MS-134
NOTA FRIA
Rapaz é preso após comprar dinheiro falso no Paraguai
LAMA ASFALTICA
Alvo de operação da PF, Puccinelli volta a ser preso com filho e dois advogados