Menu
LIMIT ACADEMIA
terça, 19 de fevereiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
OURO DE OFIR

Advogada suspeita de aplicar golpes em 25 mil pessoas é presa pela Polícia Civil em MS

A investigação é sobre um grupo que captava valores acima de mil reais de investidores, com a promessa de rendimentos milionários.

6 Dez 2018 - 08h16Por G1 MS

A Polícia Civil prendeu na tarde desta quarta-feira (5), em Campo Grande, a advogada Maria Inês Leite, na 4° fase da operação Ouro de Ofir. A investigação é sobre um grupo que captava valores acima de mil reais de investidores, com a promessa de rendimentos milionários.

De acordo com a investigação, ela seria uma das chefes de uma quadrilha responsável por fazer mais de 25 mil vítimas no país. A advogada foi presa ao sair de casa, no bairro Carandá Bosque. Ela foi abordada por investigadores da Delegacia de Defraudações de Campo Grande (DEDFAZ), que faziam campana no local.

A presidente da Comissão de Prerrogativas da OAB/MS, Silmara Salamaia Gonçalves, afirmou que "a comissão foi acionada para acompanhar a escolha do local em que deve ser custodiado o advogado". Maria Inês deve ser encaminhada para a companhia de guarda do presídio militar e ficará em uma espécie de alojamento, sem grades. A presidente afirmou ainda que, até o momento, não há informações sobre quem fará a defesa de Maria Inês.

Criminosos usavam redes sociais para atrair vítimas

Segundo a polícia, a advogada seria uma das idealizadoras e responsável pelo respaldo jurídico do esquema. Os suspeitos vendiam parte de uma fortuna que teriam direito sobre a exploração de uma mina de ouro e prometiam um grande retorno financeiro.

De acordo com a investigação, o esquema é como se fosse um "golpe do bilhete premiado", porém mais moderno. No lugar de prêmio da loteria, ofereciam valores baseados em ouro. Os criminosos usavam redes sociais para atrair interessados.

Ainda de acordo com a polícia, a prisão de Maria Inês é importante para alertar a população de que os golpes continuam acontecendo.

Na 1° fase da operação Ouro de Ofir foram presos 3 integrantes da quadrilha, entre eles, Celso Eder de Araújo e Anderson de Araújo, que tiveram pedido de liberdade com medidas cautelares aceito pelo STF no mês passado. Na 2°fase, Sandro Machado foi preso tentando sacar 1,4 milhão em um banco, em Brasília, e teve pedido de liberdade negado em julho. Em setembro deste ano, na 3° fase, outras 2 pessoas foram presas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AGORA: OPERAÇÃO FANTOCHE
Polícia Federal está na sede da Fiems para buscas da Operação Fantoche
PCC/COMANDO VERMELHO
Adolescente estrangulado com corda foi morto em guerra de facções
BRIGA EM PRESIDIO
Detento tem olho perfurado depois de briga em cela de presídio
MARACAJU
Colisão entre dois caminhões na MS 162 saída para Sidrolândia
DOURADOS - CIFRA NEGRA
Justiça autoriza desocupação do gabinete de Idenor e viagem de Longhi em Dourados
ACIDENTE FATAL
Adolescente é atropelada quando levava pai em cadeira de rodas, veja o vídeo
VIOLENCIA DOMESTICA
'Não consigo reconhecê-la', diz irmão de mulher espancada no 1° encontro
INFANTICIDIO
Adolescente é acusada de matar sua filha de 21 dias em Nova Andradina
FRONTEIRA VIOLENTA
Dono de bar e executado a tiros por pistoleiros em Ponta Porã.
FACÇÃO CRIMINOSA
Suposto integrante de facção criminosa morre em tiros com a polícia em inquilinato no MS