SUCURI_MEGA
FatimaNews - Notícias de Fátima do Sul e região
Fátima do Sul, 9 de Dezembro de 2016
FARMÁCIA_DA_ECONOMIA_468
16 de Novembro de 2016 16h40

Movimento cobra reitoria da UFGD por reintegração de posse em prédio ocupado

Movimento denominado Universidade Livre publicou nota em sua página na internet cobrando a reitoria da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) pela reintegração de posse do prédio onde funciona vários setores administrativos da Instituição de ensino.

O local foi ocupado por dezenas de estudantes na quarta-feira passada, dia 9 de novembro, após assembleia. Os manifestantes são contrários a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 55 – antiga 241 – que tramita no Senado e congela os investimentos públicos no país por 20 anos.

No entender do Universidade Livre, a "democracia se faz pela vontade da maioria e nunca deve ser vetado o direito de manifestação livre, porém nosso movimento considera que a forma como foi deliberada esta ação foi ilegítima e manipulada deliberadamente para não ouvir a maioria dos alunos garantindo, assim uma ação política que atende interesses de um grupo ideológico", diz trecho do material [veja o texto abaixo na íntegra].

A nota, publicada em forma de repúdio’, alega ainda que a ocupação traz prejuízos a toda a comunidade acadêmica, ‘que precisa do funcionamento pleno da unidade I da UFGD’.

No dia seguinte a ocupação, a Universidade encaminhou nota onde alegou que buscaria o diálogo com os manifestantes e descartou, naquele momento, o pedido de reintegração de posse do prédio.

 

Vestibular

O vestibular da UFGD, agendado para o próximo final de semana não será afetado por conta da ocupação.

A entidade esclareceu por meio de nota que o processo será mantido e o ensalamento foi disponibilizado aos candidatos que disputam as vagas na federal da Grande Dourados. Para acessar, basta clicar aqui. A prova acontece no domingo (20).

Leia nota na íntegra:

"O Movimento Universidade Livre vem se declarar contrário a esta ocupação, por alguns alunos, do prédio da reitoria da UFGD e solicitar que a administração da universidade realize os esforços para viabilizar a reintegração de posse.

A democracia se faz pela vontade da maioria e nunca deve ser vetado o direito de manifestação livre, porém nosso movimento considera que a forma como foi deliberada esta ação foi ilegítima e manipulada deliberadamente para não ouvir a maioria dos alunos garantindo, assim uma ação política que atende interesses de um grupo ideológico que acredita que a maioria da sociedade são inimigos em uma guerra em que vale tudo.

Consideramos que ainda que esta fosse a vontade da maioria dos alunos a ocupação, da forma como está sendo conduzida, traz vários prejuízos à comunidade que precisa do funcionamento pleno da unidade 1 da UFGD. Ainda que o movimento alegue que deu acesso à reitoria para algumas ações, não entenderam que essas ações demandam de mais liberdade e são mais complexas do que parecem aos ocupantes. Esta ocupação pode, por exemplo, prejudicar o vestibular, o pagamento de bolsas aos alunos vulneráveis e até o salário dos servidores, caso se mantenha até a data em que o movimento de ocupação pretende (votação da PEC55).

Se por um lado a ocupação traz vários transtornos à comunidade, por outro não tem nenhum poder político para convencer a atenderem suas reivindicações, já que todos sabem que ela não representa a maioria. Não é sitiando a reitoria que se vai conseguir sensibilizar o poder público à causa proposta.

Assim, entendemos que esta ocupação apenas divide uma comunidade que poderia estar unida contra eventuais decisões de governo prejudiciais à sociedade e lutando por uma universidade melhor.

Comentários
Veja Também
Nossa_Lojas
REINO_MATRÍCULAS_2017
AGÊNCIA_SUCURI_LATERAL
Últimas Notícias
  
FORTALEZA
Eventos
dothCom © Copyright FatimaNews - Todos os Direitos Reservados.