Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 21 de maio de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
100 GRANA

Sem crédito, pagamento do Bolsa Família para em setembro, diz Guedes

Congresso Nacional precisa aprovar o projeto de crédito suplementar de R$ 248 bilhões, necessários para governo conseguir fazer pagamentos do governo

16 Mai 2019 - 09h38Por Estadão Conteúdo

Brasília — O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que, se o Congresso Nacional não aprovar o projeto de crédito suplementar de R$ 248 bilhões, necessário para cumprir a regra de ouro, travará os pagamentos do governo. De acordo com o ministro, sem o crédito, os pagamentos de subsídios param em junho, de benefícios assistenciais em agosto e, do Bolsa Família, em setembro. “Tenho que apostar que o Congresso vai aprovar o crédito suplementar”, completou ele, durante audiência da Comissão Mista de Orçamento (CMO).

Guedes reforçou a necessidade de aprovação da reforma da Previdência e disse que o crescimento desses gastos pode impedir a tentativa do governo de “salvar o País”. “Pode não dar tempo”, afirmou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FATIMA DO SUL - MOÇA BIJU
Moça Biju já é realidade em Fátima do Sul
FÁTIMA DO SUL - SEGUNDA DA LIMPEZA
Comece a semana muito bem com a SEGUNDA DA LIMPEZA do Mercado Julifran em Fátima do Sul
IDADE MINIMA
Reforma da Previdência: idade mínima pode ficar menor para professor
ALERTA AOS POSTOS DE COMBUSTÍVEIS
Em MS, Preço do etanol acompanha alta da gasolina e entra na mira do MP
VICENTINA - SHOW CONFIRMADO
Confirmado, Maiara e Maraisa é uma das atrações dos festejos do aniversário de Vicentina
BONITO - MS - DICAS AGÊNCIA ECO TOUR
Saiba mais sobre alguns dos melhores atrativos de Bonito (MS)!
HOSPITAL DE CAARAPÓ
Hospital recebe doação de R$ 70 mil em equipamentos através da Vara do Trabalho de Fátima do Sul
UNIGRAN - DOURADOS - VESTIBULAR DE INVERNO
Vestibular de Inverno na UNIGRAN para Publicidade e Propaganda com inscrições abertas em Dourados
CONTRA REFORMA PREVIDÊNCIA
Categorias aderem a mobilização nacional
GREVE NA EDUCAÇÃO
Após cortes na educação, governo Bolsonaro enfrenta hoje 1ª greve nacional