Menu
SADER_FULL
terça, 25 de fevereiro de 2020
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
MS FORTE

Salário médio do sul-mato-grossense avançou 14% em três anos

Ainda neste ano, os avanços registrados no primeiro, segundo e terceiro trimestre foram de 0,4%, 1,5% e 0,6% respectivamente

15 Nov 2018 - 09h18Por VINICIOS ARAÚJO, COM IBGE

Do terceiro trimestre de 2015 pra cá, o trabalhador sul-mato-grossense viu o rendimento médio permanecer praticamente estável. De acordo com o levantamento da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o avanço foi de apenas 14,7%, um percentual referente a R$ 294.

No terceiro trimestre de 2018 o índice foi cravado em R$ 2.286. Esse rendimento médio é resultado da soma do que cada um dos 1.327.000 trabalhadores (dado estimado) recebem dividido pelo número de profissionais ocupados. 

Ainda neste ano, os avanços registrados no primeiro, segundo e terceiro trimestre foram de 0,4%, 1,5% e 0,6% respectivamente. 

O quadro abaixo mostra os registros efetuados desde o terceiro trimestre de 2015 até aqui. 

 

 

OCUPAÇÕES

Com 1.430.000 pessoas aptas ao mercado de trabalho, Mato Grosso do Sul reduziu em 0,4% a taxa de desocupação quando comparada ao segundo trimestre do ano e 1,2% comparada ao início do ano. Segundo o levantamento atualmente estão ocupados 1.327.000 trabalhadores sul-mato-grossenses.

Em três anos, o pior período para o Estado foi no primeiro trimestre de 2017, quando a taxa de desocupação em MS alcançou 9,8%. Durante aquele ano, o índice foi reduzido a 7,3%, retomando alta no início de 2018 com 8,4% de pessoas desocupadas.

No Brasil, a taxa de desocupação foi de 11,9%. Em 21 das 27 unidades da federação, a taxa de desocupação permaneceu estável em relação ao segundo trimestre de 2018. 

A única UF em alta (2,3 pontos percentuais) foi Roraima (de 11,2 para 13,5%). As quedas ocorreram em Mato Grosso (-1,8 p.p.), Tocantins (-1,6 p.p.), Minas Gerais (-1,1 p.p.), Ceará (-1,1 p.p.) e Rio de Janeiro (-0,8 p.p.). 

No terceiro trimestre de 2018, as maiores taxas de desocupação entre as unidades da federação foram: Amapá (18,3), Sergipe (17,5%) e Alagoas (17,1%). As menores taxas de desocupação foram observadas em Santa Catarina (6,2%), Mato Grosso (6,7%) e Mato Grosso do Sul (7,2%).

Deixe seu Comentário

Leia Também

HABITAÇÃO
Em meio a incertezas, MS terá 2,8 mil moradias populares
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Mais de 40 concursos oferecem 9.983 vagas e salários de até R$ 33,6 mil
100 EXPEDIENTE
Bancos irão fechar na segunda e terça-feira de carnaval
VICENTINA - ALMOÇO NESTE DOMINGO
Domingo é dia de almoçar no Pesqueiro 7 Bello, confira o cardápio em Vicentina
OFICIAIS E BOMBEIROS
Governo convoca aprovados para Cursos de Formação de Oficiais da PM e Bombeiros
FÁTIMA DO SUL - CHAMADA PÚBLICA
Escola Vicente Pallotti realiza chamada pública para adquirir merenda escolar em Fátima do Sul
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Concurso público do Tribunal de Justiça de MS com 54 vagas fecha inscrições nesta quinta
FÁTIMA DO SUL - FOLIA DOS PREÇOS BAIXOS
Folia de Preços Baixos tem Skol a R$ 1,87, VEJA as promoções que vão até segunda no Mercado Julifran
100 EMPREGOS
Fechamento do Extra deve deixar mais de 300 desempregados em Dourados
FÁTIMA DO SUL - HOJE TEM QUARTA VERDE
Confira as ofertas da QUARTA VERDE do Mercado Julifran em Fátima do Sul