Menu
SADER_FULL
segunda, 20 de maio de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ÁGUAS DE BONITO
ERA DIGITAL

2ª demissão em massa em dois anos indica fim da era impressa em jornal

Correio do Estado demitiu 16 pessoas, momento já vivenciado por impressos em todo País que perderam leitores para a internet.

6 Mai 2019 - 14h58Por Campo Grande News

Fundado em 1954, o jornal Correio do Estado é conhecido pela longevidade, como mais tradicional diário impresso de Mato Grosso do Sul. Mas nos últimos dois anos a crise econômica transformou a redação. A empresa virou cenário de demissões para uma “readequação”. 

Em nota divulgada no domingo (5), o Sindjor (Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul) contabiliza 16 dispensas. Entre os funcionários, jornalistas que estavam há mais de 20 anos na redação do Correio do Estado, em editorias estratégicas, como de Economia. 

A proposta para esses profissionais, segundo a nota do sindicato, foi o acordo de dispensa para posterior contratação como pessoa jurídica. Os que não aceitaram, foram para a lista de demissão.

Esta foi a segunda demissão em massa em dois anos, fato até então inédito na história do jornal. A primeira ocorreu no fim de abril de 2017, com a saída de cerca de 20 profissionais de vários setores, 15 somente da redação.

Em nota, o Sindjor lamentou a situação e ressalta os riscos à saúde mental do trabalhador, tanto para os demitidos, quanto para os que permanecem na função. “É importante lembrar que, nestes casos, as demissões são precedidas de pressões psicológicas, que chegam a levar ao adoecimento de funcionários, e até mesmo episódios de assédio moral, na evidente tentativa de motivar desligamentos voluntários. São frequentes os relatos de acúmulo e desvio de funções, além de sobrecarga de trabalho".

Nos tempos das vacas gordas, a redação do Correio do Estado chegou a contar com 40 profissionais, entre jornalistas e fotógrafos na equipe em Campo Grande, além de colaboradores em Três Lagoas, Dourados e Ponta Porã. Hoje, são 18 (jornalistas e fotógrafos) e um estagiário.

Apesar da redução do quadro de funcionários, o volume de trabalho deve permanecer o mesmo, com publicação diária de notícias no site e na versão impressa do jornal, nas ruas há 65 anos.

O diretor confirma que existe plano para colocar fim à edição impressa e migrar todo do conteúdo para plataforma on-line, mas nada a curto prazo. “Aí o mercado que vai ditar, é a tendência mundial, ela vai mostrar o caminho e o Correio do Estado vai seguir”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ALERTA AOS POSTOS DE COMBUSTÍVEIS
Em MS, Preço do etanol acompanha alta da gasolina e entra na mira do MP
VICENTINA - SHOW CONFIRMADO
Confirmado, Maiara e Maraisa é uma das atrações dos festejos do aniversário de Vicentina
BONITO - MS - DICAS AGÊNCIA ECO TOUR
Saiba mais sobre alguns dos melhores atrativos de Bonito (MS)!
100 GRANA
Sem crédito, pagamento do Bolsa Família para em setembro, diz Guedes
HOSPITAL DE CAARAPÓ
Hospital recebe doação de R$ 70 mil em equipamentos através da Vara do Trabalho de Fátima do Sul
UNIGRAN - DOURADOS - VESTIBULAR DE INVERNO
Vestibular de Inverno na UNIGRAN para Publicidade e Propaganda com inscrições abertas em Dourados
CONTRA REFORMA PREVIDÊNCIA
Categorias aderem a mobilização nacional
GREVE NA EDUCAÇÃO
Após cortes na educação, governo Bolsonaro enfrenta hoje 1ª greve nacional
FÁTIMA DO SUL - MERCADO JULIFRAN
Ofertas da 'Quarta Verde' e as ofertas que vão até sábado no Mercado Julifran em FÁTIMA DO SUL
INVESTIMENTOS DO GOVERNO MS
Reinaldo se reúne com diretor da Itaipu para discutir construção de ponte