Menu
PASSARELA
sexta, 25 de maio de 2018
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
PREVISÃO DO TEMPO

Sexta-feira promete mais recordes de frio no MS e algumas Capitais

2 Jun 2017 - 08h22Por CLIMA TEMPO

Uma forte massa de ar de origem polar está entrando no Brasil e causa acentuada queda da temperatura. O mês de junho começou com recorde de frio em cinco capitais brasileiras.

Pode esfriar mais na madrugada desta sexta-feira e há chance de novos recordes de menor temperatura do ano (madrugada mais fria) em Rio Branco, Porto Velho, Cuiabá, Campo Grande e também na cidade de São Paulo.

madrugada de sábado, 3 de junho, ainda será bastante fria especialmente nos estados das Regiões Sul e Sudeste e há chance de novos recordes. Rio de Janeiro e Belo Horizonte são fortes candidatas a baterem o recorde de menor temperatura do ano neste próximo sábado. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, a menor temperatura no Rio de Janeiro até agora foi 14,0°C, em 13 de maio. Em Belo Horizonte, o recorde atual ocorreu em 30 de maio, quando a temperatura baixou para 15,3°C. Tanto no Rio como em Belo Horizonte, a temperatura pode chegar aos 13°C na madrugada do sábado.

Recordes de 1 de junho

O ar gelado foi sentido na quinta-feira, 1 de junho, em toda a Região Sul, em São Paulo, em Mato Grosso do Sul, no sul e no oeste de Mato Grosso e chegou também a Rondônia e ao Acre. A temperatura caiu muito em Porto Alegre, Campo Grande, Cuiabá, Porto Velho e em Rio Branco e junho começou com recorde de frio nestas capitais

 

Cuiabá e Campo Grande tiveram duplo recorde de frio e registraram a madrugada e a tarde mais fria de 2017 até agora.

Na capital de Mato Grosso, Cuiabá, a temperatura mínima foi de 17,2°C, pela medição do INMET - Instituto Nacional de Meteorologia. O recorde anterior era 18,8°C em 28 de abril. A temperatura máxima foi de 24,0°C e também foi a menor do ano, por enquanto. O recorde anterior era 25,0,°C, em 2 de fevereiro.

Em Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul, a temperatura mínima nesta quinta-feira, 1 de junho, foi de 12,1°C, igualando o recorde já registrado em 28 de abril. A temperatura máxima foi de apenas 19,1°C, a mais baixa do ano. O recorde anterior de menor máxima era 21,6°C, em 31 de maio.

Porto Alegre, Cuiabá e Porto Velho registraram a tarde mais fria de 2017 até agora. Nas três capitais, além de ar polar, o excesso de nebulosidade também contribuiu para manter a temperatura baixa. Em Porto Alegre choveu muito o dia todo.

Pela medição do INMET, em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, a temperatura máxima em 1 de junho foi de 17,2°C, a máxima mais baixa do ano. O recorde anterior era 17,6°C, em 31 de maio.

Em Porto Velho, capital de Rondônia, a temperatura máxima foi de 25,5°C e igualou o recorde anterior de menor máxima que ocorreu em 21 de março.

Rio Branco, capital do Acre, também bateu o recorde de tarde mais fria do ano no dia 1 de junho, com temperatura máxima de 23,8°C. Mas os valores de máxima de Porto Velho e de Rio Branco podem sofrer alterações após a nova leitura realizada na noite de 1 de junho.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AGORA - DECISÃO DO PRESIDENTE
#AGORA: Temer aciona Exército 'forças federais' para desbloquear estradas
CAMINHONEIROS MANTÉM BLOQUEIOS
Mesmo após acordo, caminhoneiros se mobilizam pelo 5º dia em vários estados
GREVE DOS CAMINHONEIROS
'Governo Federal está jogando para os estados problema da greve dos caminhoneiros', diz Reinaldo
AÇÕES DEPUTADO EDUARDO ROCHA
Eduardo Rocha apresenta Moção de Congratulação à promotor de Justiça de Três Lagoas
GOVERNO INVESTINDO EM ASFALTO
Governo assina contrato de R$ 4,4 milhões para pavimentação de ruas de Jardim
PROJETO BARBOSINHA
Festa do pé de soja solteiro de Laguna Carapã pode entrar para Calendário Cultural oficial do Estado
AÇÕES DO DEPUTADO ONEVAN
Idealizado e inaugurado por Onevan, deputado participa de atividades da Guarda Mirim de Naviraí
VICENTINA E JATEÍ EM BRASÍLIA
Em Brasília, Prefeitos de Vicentina e Jateí e mais 59 prefeitos anunciam apoio à reeleição de Moka
GOVERNO DO ESTADO DO MS
Governo de Reinaldo Azambuja executa maior programa habitacional de MS, com 20 mil casas
CONQUISTA ESTÁ VINDO
Governo federal pode 'zerar' tributos de combustíveis após protestos de caminhoneiros