SUCURI_MEGA
FatimaNews - Notícias de Fátima do Sul e região
Fátima do Sul, 21 de Agosto de 2017
DELPHOS_FULL
30 de Maio de 2017 07h51

Professores da rede estadual fazem ‘paralisação de advertência’ nesta terça

Categoria pede cumprimento da Lei do Piso

Mídia Max

Os trabalhadores da rede estadual de ensino vão fazer manifestação na manhã desta terça-feira (30). Os educadores e administrativos fazem uma ‘paralisação de advertência’ para cobrar do governo do Estado, o cumprimento da Lei do Piso (Lei n.º 11.738/2008) e o reajuste dos administrativos.

De acordo com a Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), os trabalhadores farão ato em Campo Grande, às 8 horas, na rotatória do Parque dos Poderes, subindo pela Avenida Afonso Pena, na Avenida do Poeta, 200 metros antes de chegar na Secretaria de Educação do Estado.

Os professores cobram a o pagamento do reajuste de 7,64% do Piso Salarial Nacional, referente ao mês de janeiro deste ano. O aumento é garantindo por meio da Lei do Piso (Lei n.º 11.738/2008) e pela Lei Complementar Estadual n.º 200/2015. O governo do Estado segue em tratativas com a Fetems sobre o assunto.

Na última segunda-feira (29), foi realizada reunião com o Secretário de Administração e Desburocratização, Carlos Alberto de Assis e o presidente da Fetems, Roberto Botarelli.

Foi proposto pelo governo do Estado, a garantia de que todos os professores que trabalham a partir de 20h semanais recebam ao menos o piso nacional – que prevê 40h de jornada e a “repactuação dos prazos para aplicação de reajuste sobre a Lei do Piso, com prorrogação para 2018, em virtude da queda da receita estadual bem como da necessidade de as contas estaduais se submeterem à Emenda Constitucional 77, de 18 de abril de 2017, que trata do limite de gastos. A proposta do Governo será levada pela Fetems à categoria.

Com relação aos administrativos, a reinvindicação é a incorporação do abono salarial de R$ 200, política de valorização salarial e o reajuste da categoria, o que esbarra na alegação do governador Reinaldo Azambuja de que seria preciso recompor as perdas com arrecadação do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) do gás natural.

Comentários
Veja Também
Nossa_Lojas
MBO_SEGURANÇA_300
REINO_MATRÍCULAS_2017
Últimas Notícias
  
FORTALEZA
Eventos
dothCom © Copyright FatimaNews - Todos os Direitos Reservados.