Menu
SADER_FULL
segunda, 18 de junho de 2018
PASSARELA
Busca
ITALÍNEA
PARALISAÇÃO

Professores da rede estadual fazem ‘paralisação de advertência’ nesta terça

Categoria pede cumprimento da Lei do Piso

30 Mai 2017 - 07h51Por Mídia Max

Os trabalhadores da rede estadual de ensino vão fazer manifestação na manhã desta terça-feira (30). Os educadores e administrativos fazem uma ‘paralisação de advertência’ para cobrar do governo do Estado, o cumprimento da Lei do Piso (Lei n.º 11.738/2008) e o reajuste dos administrativos.

De acordo com a Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), os trabalhadores farão ato em Campo Grande, às 8 horas, na rotatória do Parque dos Poderes, subindo pela Avenida Afonso Pena, na Avenida do Poeta, 200 metros antes de chegar na Secretaria de Educação do Estado.

Os professores cobram a o pagamento do reajuste de 7,64% do Piso Salarial Nacional, referente ao mês de janeiro deste ano. O aumento é garantindo por meio da Lei do Piso (Lei n.º 11.738/2008) e pela Lei Complementar Estadual n.º 200/2015. O governo do Estado segue em tratativas com a Fetems sobre o assunto.

Na última segunda-feira (29), foi realizada reunião com o Secretário de Administração e Desburocratização, Carlos Alberto de Assis e o presidente da Fetems, Roberto Botarelli.

Foi proposto pelo governo do Estado, a garantia de que todos os professores que trabalham a partir de 20h semanais recebam ao menos o piso nacional – que prevê 40h de jornada e a “repactuação dos prazos para aplicação de reajuste sobre a Lei do Piso, com prorrogação para 2018, em virtude da queda da receita estadual bem como da necessidade de as contas estaduais se submeterem à Emenda Constitucional 77, de 18 de abril de 2017, que trata do limite de gastos. A proposta do Governo será levada pela Fetems à categoria.

Com relação aos administrativos, a reinvindicação é a incorporação do abono salarial de R$ 200, política de valorização salarial e o reajuste da categoria, o que esbarra na alegação do governador Reinaldo Azambuja de que seria preciso recompor as perdas com arrecadação do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) do gás natural.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CARAAPÓ - ACIDENTE COM VÍTIMA
Homem morre em acidente que teria provocado com caminhão em Caarapó
PREFEITO DE CIDADE DO MS
Prefeito de cidade do MS sofre atentado a tiros na fronteira com Paraguai
CORUMBÁ - REDUÇÃO DO ICMS
Redução do ICMS por Reinaldo Azambuja pode frear custo do transporte coletivo em Corumbá
AÇÕES DO GOVENO DO MS
Com R$ 45 milhões em investimentos, Reinaldo Azambuja realiza agenda em sete municípios em três dias
Ponta Porã
Carro recheado de droga é apreendido na BR-463
Três Lagoas
Criança de 4 anos aparece com ferimentos no órgão genital; abusador pode ser um familiar
ESPAÇO PUBLICITÁRIO
Eko'7 Colchões Magnéticos, veja os benefícios e onde encontrar
PREVISÃO DO TEMPO
Frente fria chega com chuva nesta terça-feira Dia dos Namorados em todo o Estado do MS
EDITORIAL - FIBE BILSTEIN
Análise da articulação de suspensão FEBI BILSTEIN
ACIDENTE DAS ESTRADAS
Ônibus com estudantes da UFGD tomba e cinco ficam feridos