MEGA_OKA_CARROS_
FatimaNews - Notícias de Fátima do Sul e região
Fátima do Sul, 19 de Outubro de 2017
DELPHOS_FULL
13 de Junho de 2017 15h18

Investimento maciço do governo Reinaldo Azambuja em segurança pública reduz a criminalidade em MS

SEMANA ON
FOTO: ASSESSORIA -FOTO: ASSESSORIA -

A violência é uma das maiores preocupações dos brasileiros. Não é para menos, segundo o Atlas da Violência 2017, lançado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública no início do mês, aconteceram 59.080 homicídios no país em 2015. Quase uma década atrás, em 2007, a taxa foi cerca de 48 mil.

Mato Grosso do Sul aparece no ranking como o sexto estado com menor número de homicídios no país registrados nestes dez anos. Neste período, foram assassinadas 7.424 pessoas no Estado. Entre 2014 e 2015, houve redução de 9,4% no número de homicídios, com 700 vítimas de assassinatos em 2014 e 634 no ano seguinte. Entre as cidades do Estado com mais de 100 mil habitantes, Corumbá é a que tem a maior taxa de homicídios, com índice de 31,3, seguida por Dourados (28,2), Campo Grande (23,4) e Três Lagoas (21,1). Apesar dos índices, todas as cidades do Estado estão entre as 150 com menos mortes do país.

Para o secretário estadual de Justiça e Segurança Pública, José Carlos Barbosa, a redução nos índices de homicídios serão acentuadas com a política de investimentos do Governo do Estado em segurança. “Estamos oferecendo melhores condições para que nossos policiais possam trabalhar. Estamos investindo principalmente na intensificação de ações de prevenção a partir das metas do programa MS Mais Seguro, o qual compactua com o atual plano de comando da Polícia Militar, e tem a finalidade de garantir a segurança e a preservação da ordem pública”, disse o secretário.

Em sua quarta etapa, programa já investiu cerca de R$ 80 milhões

Atualmente na 4ª etapa, o programa do Governo do Estado já investiu R$ 76 milhões na compra de viaturas, armamentos, munições e equipamentos de proteção pessoal para as Polícias e Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul. O Governo também reforçou o efetivo, com a contratação de 320 agentes penitenciários, além de realizar cursos de aperfeiçoamento e promoções dos militares da ativa. O total de investimentos previsto pelo programa deve atingir os R$ 115 milhões.

“Os números positivos das nossas forças policiais nos estimula a investir mais. E os recursos que vem sendo aplicados nas estruturas de segurança pública refletem nos índices de atendimento à população. Hoje o Mapa da Violência, elaborado pelo Ministério da Justiça, aponta que nosso Estado é o 3º mais seguro do Brasil. Vamos continuar a investir para ser o mais seguro do Brasil, mesmo sendo um Estado de fronteira”, afirmou o governador Reinaldo Azambuja.

Lançado pelo Governo do Estado há sete meses, o programa prevê a entrega de 700 novas viaturas,

5.965 equipamentos de proteção, 4.620 profissionais formados e treinados, 1.776 novos policiais militares e civis, bombeiros e agentes penitenciários e novos armamentos.

Investimentos já estão gerando consequências positivas, mostra levantamento do Governo

O reforço na estrutura da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul (PMMS) vem trazendo resultados positivos para a segurança dos moradores de Campo Grande e do interior. Dados do balanço realizado pela corporação no primeiro quadrimestre de 2017 revelam que o número de homicídios caiu em mais de 43% na Capital. Conforme o levantamento, a redução no índice de criminalidade na capital caiu de 53 homicídios dolosos – quando há intenção de matar - de janeiro a abril de 2016, para 30 no mesmo período deste ano. Somando os 79 municípios do Estado, a redução é de 17,5 %, caindo de 200 homicídios dolosos no primeiro quadrimestre de 2016, para 165 no mesmo período de 2017.

Outro número positivo do trabalho da PMMS se reflete na recuperação de veículos produtos de roubo e/ou furto. Somente nos cinco primeiros meses de 2017 a corporação recuperou 919 veículos, reduzindo o prejuízo da população, por meio de blitz para verificar documentação de condutores e até mesmo com apoio da sociedade por meio de denúncias.

A Polícia Civil do Mato Grosso do Sul (PCMS) também tem dado mostras de que o investimento do Governo está gerando resultados práticos. A Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico (Denar),por exemplo, incinerou neste mês mais de 36 toneladas de entorpecentes apreendidos por todas as delegacias de Polícia de Campo Grande. Do início do ano até agora foram apreendidas em todo o Estado 135 toneladas de drogas. Ano passado foram 296 toneladas.

“Os números positivos das nossas forças policiais nos estimula a investir mais. E os recursos que vem sendo aplicados nas estruturas de segurança pública refletem nos índices de atendimento à população. Hoje o Mapa da Violência, elaborado pelo Ministério da Justiça, aponta que nosso Estado é o 3º mais seguro do Brasil. Vamos continuar a investir para ser o mais seguro do Brasil, mesmo sendo um Estado de fronteira”, afirmou o governador Reinaldo Azambuja.

Mais de mil foragidos da Justiça foram retirados das ruas de Mato Grosso do Sul somente nos meses de janeiro a maio deste ano. O trabalho realizado pela PMMS conta com importante apoio da sociedade, que é uma grande parceira e pode continuar contribuindo com informações por meio do disque denúncia 181 ou pelo próprio 190. As ações também fazem parte do programa MS Mais Seguro.

Dados estatísticos do setor de inteligência da PMMS mostram que de 1º de janeiro de 2017 a 20 de maio do mesmo ano, a polícia conseguiu localizar e prender 1.512 foragidos da Justiça, que são pessoas que fugiram do sistema prisional ou estão com mandato de prisão em aberto. Todos os procedimentos relativos ao tratamento e punibilidade dos foragidos da justiça estão previstos no Código de Processo Penal.

Modernização da frota colabora diretamente para o combate a criminalidade

Na capital, a política de modernização da frota de veículos da Polícia Militar é outro aspecto positivo no combate à violência. Campo Grande recebeu 102 novas viaturas para reforçar as ações de combate ao crime e o policiamento ostensivo.

O Batalhão de Choque da Polícia Militar conseguiu dobrar o número de prisões em flagrante em Campo Grande, por meio do motopoliciamento - reestruturado no ano passado - após entrega da frota de 20 motocicletas de 660 cilindradas. Em seis meses de trabalho, o grupamento especializado da PM conseguiu aumento de 123% no número de prisões em flagrante, em relação a todo o trabalho que havia sido feito por eles no ano anterior. Os dados são do Batalhão de Choque da PM (BPChq) e revelam que antes do investimento, em 2015, o total de prisões foi de 240. Esse número passou a 536 em 2016. Neste ano, a expectativa que os números sejam ainda mais positivos.

“As motos têm ajudado na redução do tempo resposta de todas as ocorrências. Elas chegam primeiro e iniciam o atendimento até a Rotac [Rondas Ostensivas de Ações de Choque] chegar. Atuam também no patrulhamento tático e no reforço do policiamento preventivo em bairros de alta incidência de criminalidade”, explicou o comandante do BPChq, tenente coronel Marcus Pollet.

Equipe de 36 policiais especializados em motopatrulhamento se reveza em grupos de quatro a cinco militares para prestar apoio em todas as ocorrências que a PM solicitar, além de promover rondas aumentando a segurança em todas as regiões da cidade. O resultado dos trabalhos pode ser sentido nos mais diversos tipos de ocorrência.

Além do dobro de prisões em flagrante, o número de quadrilhas desmanteladas pelo Batalhão de Choque também aumentou mais de 100%. Foram 47 operações bem-sucedidas no ano de 2016, contra apenas 20 quadrilhas desfeitas no ano anterior, antes do uso do batalhão de motos. As apreensões de armas de fogo também aumentaram. Foram 103 apreendidas no segundo semestre de 2016, contra 65 que haviam sido encontradas pelos policiais no ano anterior.

O incremento e apoio do motopoliciamento ao Batalhão de Choque – que já inclui a Rotac e Operações com Cães – permitiu ainda em 2016 praticamente a recuperação de um carro roubado por dia. Foram 151 veículos recuperados no segundo semestre, reduzindo o prejuízo da população. No ano anterior, o Batalhão havia conseguido recuperar 70 veículos, o que representa aumento de 115% na solução dessas ocorrências.

Em meio à crise econômica nacional, Estado investe em valorização, qualificação e remuneração

Dos 10.532 Bombeiros e Policiais Militares de Mato Grosso do Sul, 61% foram beneficiados com as 4.611 promoções e as 1.859 progressões concedidas de 2015 até hojes. Os militares sul-mato-grossenses foram contemplados também com correções na política salarial, obtidas após discussões do Governo com as entidades representativas dos servidores.

Como resultados da verticalização das tabelas da PM e dos Bombeiros mais o abono de R$ 200, os soldados obtiveram 13,13% de aumento no início e 10,87% no final da tabela; e os cabos 10,53% no início e 8,43% no final a tabela salarial.

Outra conquista garantida pelo Governo foi a garantia em lei da realização anual de cursos de formação para cabos, sargentos e oficiais para fins de desenvolvimento profissional e promoção. Foi também diminuído de 8 para 6 anos os critérios para promoção por antiguidade de soldado para cabo. Houve ainda ingresso de 1.273 novos soldados e dada posse a 281 praças e oficiais.

A maioria dos policiais civis de Mato Grosso do Sul está entre os que recebem as melhores remunerações no País. Na atual administração, os 3.169 agentes de Polícia Civil e Papiloscopistas obtiveram correção de 6% na tabela salarial mais abono de R$ 200 – que elevaram os ganhos reais a 11,45% no início e 8,48% no final de carreira.

De 20% foi o aumento obtido por mais da metade da categoria, em decorrência das 1.801 promoções concedidas pelo Governo do Estado. Desde o início da gestão tucana, o Governo concedeu 1.261 progressões que acrescentaram outros 5% aos salários.

Foi dada ainda posse a 217 servidores concursados para que não houvesse sobrecarga aos efetivos e mantida a paridade e integralidade na aposentadoria especial. Antiga reivindicação da categoria, o Governo deu início ao processo de transferência da custódia de presos das delegacias para a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), nos municípios de Ivinhema e Caarapó.

Concurso público aumentará efetivo da Polícia Civil

Para aumentar a efetividade do policiamento em todo o Estado, o Governo vai realizar neste ano concurso para a Polícia Civil, para os cargos de delegado, escrivão e investigador. O edital do concurso foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) do último dia 8. O período de inscrição vai até as 17h do dia 10 de julho. São 30 vagas para delegado (salário de R$ 14.978,26), 100 para escrivão e 80 para investigador, com salário atual de R$ 3.888,26, acrescido do abono de R$ 300,00.

Segundo Azambuja, o Governo do Estado pretende estabelecer um cronograma de concursos públicos anual para viabilizar o ingresso de policiais nas forças de segurança do Estado de forma constante. Segundo o governador, trata-se de um modelo inteligente de realização de concurso para o ingresso na carreira da segurança pública, pois quando se contrata de uma vez mil servidores, por exemplo, a tendência é de eles se aposentem no mesmo período, criando-se assim uma defasagem no efetivo.

Atenção à fronteira também faz parte do MS Mais Seguro

Presente em 51 município do Estado, o Departamento de Operações de Fronteira (DOF) comemorou 30 anos de criação em maio passado. Desde sua criação o departamento contabiliza a apreensão de mais de 380 toneladas de drogas. Para otimizar esta performance, o programa MS Mais Seguro também contemplou o DOF.

Hoje o departamento tem presença efetiva nos 730,8 quilômetros de fronteira seca do Estado – do total de 1.500 quilômetros de fronteira com o Paraguai e com a Bolívia – abrangendo, inclusive, extensa área rural. Ao todo o DOF recebeu 150 coletes e 15 armas longas (fuzis 556), que totalizam R$ 256.026,00 em investimentos.

“Temos feito um grande esforço para criar uma condição de tranquilidade à população de MS. Mesmo atravessando uma das maiores recessões da história do nosso país, conseguimos investir pesadamente no combate à criminalidade. Tenho certeza que a meta das nossas forças policiais é dar mais segurança à vida das pessoas”, declarou o governador.

Comentários
Veja Também
LÉO_GÁS_300
LIMIT ACADEMIA_BOTTON
MBO_SEGURANÇA_300
Últimas Notícias
  
Nossa_Lojas
Eventos
dothCom © Copyright FatimaNews - Todos os Direitos Reservados.