Menu
SADER_FULL
sexta, 25 de maio de 2018
PASSARELA
Busca
ITALÍNEA
FISCALIZAÇÃO

Força-tarefa em postos de combustíveis constata publicidade enganosa e produtos vencidos

Postos de combustíveis da Capital foram alvo de fiscalização

26 Mai 2017 - 10h32

Postos de combustíveis da Capital foram alvo de fiscalização entre os dias 15 e 19 de maio. A operação vistoriou, no total, 53 estabelecimentos e resultou em 26 autos de infrações pelos fiscais de relação de consumo da Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon/MS), ligada à Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast). Foram constatadas irregularidades como publicidade enganosa em cinco postos e produtos vencidos.

A operação conjunta foi coordenada pela Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo (Decon) e envolveu, além do Procon Estadual, a Delegacia Especializada de Ordem Política e Social (Deops), a Secretaria de Estado de Fazenda e a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Entre as irregularidades, os fiscais constataram placas informativas com diferenciação de preço em desconformidade com a lei, produtos com prazo de validade expirado, não cumprimento da oferta e publicidade, ausência de placas informativas sobre o tipo de produto em exposição conforme a lei estadual, falta de visibilidade da placa informativa sobre diferenciação de preço e precificação. Os fiscais do Procon verificaram também as conveniências nos postos que contam com esses estabelecimentos.

De acordo com o Código de Defesa do Consumidor (CDC), no artigo 37, a publicidade é considerada enganosa quando induz o consumidor a erro por meio de informação falsa capaz de dar uma ideia diferente da realidade do produto ou do serviço ofertado ou quando o fornecedor deixa de informar um dado essencial sobre o produto ou do serviço anunciado.

Informação ao consumidor deve estar clara

O superintendente do Procon/MS, Marcelo Salomão, avalia o resultado da operação como importante para assegurar direitos dos consumidores. "É preciso que as informações e as diferenças de preço para pagamento em dinheiro e cartão estejam claras para o consumidor que vai adquirir o combustível, especialmente neste momento, em que está em vigor a Medida Provisória nº 764/2016, que permite a diferenciação de preços conforme a forma de pagamento", ressalta o superintendente.

Em um dos postos localizado na região central de Campo Grande, a ANP aplicou pena de suspensão das atividades por 10 dias em razão de irregularidades na documentação. Os técnicos da ANP recolheram amostras em todos os postos vistoriados para análise dos combustíveis.

Durante a força-tarefa, também foram verificadas a situação tributária, existência dos alvarás e do prazo validade e analisados se equipamentos, como as bombas de combustíveis, estavam dentro da conformidade.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AGORA - DECISÃO DO PRESIDENTE
#AGORA: Temer aciona Exército 'forças federais' para desbloquear estradas
CAMINHONEIROS MANTÉM BLOQUEIOS
Mesmo após acordo, caminhoneiros se mobilizam pelo 5º dia em vários estados
GREVE DOS CAMINHONEIROS
'Governo Federal está jogando para os estados problema da greve dos caminhoneiros', diz Reinaldo
AÇÕES DEPUTADO EDUARDO ROCHA
Eduardo Rocha apresenta Moção de Congratulação à promotor de Justiça de Três Lagoas
GOVERNO INVESTINDO EM ASFALTO
Governo assina contrato de R$ 4,4 milhões para pavimentação de ruas de Jardim
PROJETO BARBOSINHA
Festa do pé de soja solteiro de Laguna Carapã pode entrar para Calendário Cultural oficial do Estado
AÇÕES DO DEPUTADO ONEVAN
Idealizado e inaugurado por Onevan, deputado participa de atividades da Guarda Mirim de Naviraí
VICENTINA E JATEÍ EM BRASÍLIA
Em Brasília, Prefeitos de Vicentina e Jateí e mais 59 prefeitos anunciam apoio à reeleição de Moka
GOVERNO DO ESTADO DO MS
Governo de Reinaldo Azambuja executa maior programa habitacional de MS, com 20 mil casas
CONQUISTA ESTÁ VINDO
Governo federal pode 'zerar' tributos de combustíveis após protestos de caminhoneiros