Menu
SADER_FULL
segunda, 18 de junho de 2018
PASSARELA
Busca
ITALÍNEA
ARTIGO - POR GILBERTO MENDES

Gilberto Mendes cita noite da cadeia do agente penitenciário no artigo 'Os Esquecidos'

Gilberto Mendes cita noite da cadeia do agente penitenciário no artigo 'Os Esquecidos'

7 Jul 2017 - 19h09Por FÁTIMA NEWS POR GILBERTO MENDES

OS ESQUECIDOS

*Por Gilberto Avelino Mendes

A noite da cadeia é tão frágil. 

É um fino cristal que, no primeiro e no mais leve toque, quebra-se em mil pedaços, cada um desses estilhaços produzindo o som rígido de um trovão.
Mil trovões enclausurados...

A madrugada estende sua negra colcha felpuda e o silêncio parece deitar-se sobre ela, reconfortando-se nesse aconchego.

De repente, se ouve um grito, uma voz que uiva para a lua seu lamento. Triste lamento...
Se prestares atenção, ouvirás a sinfonia de grilos, minúsculas sirenes num universo que odeia sirenes.

Uma coruja dá um bote... e erra. Na cadeia também se erra os botes, só que nesse lugar os fracassos fazem as barrigas dormirem vazias. Cadeia sempre cobra, sempre cobra. 
Uma lâmpada acesa se apaga, acende, apaga, acende, numa eterna dúvida consigo mesmo – lâmpadas acesas são lâmpadas; lâmpadas apagadas é apenas noite, é treva, é escuridão, não brilha, não é nada.

Noite, é isso o que somos todos nesse lugar... noite.

O ladrão ama a treva porque nela não é visto, e o agente penitenciário é apenas noite, gostando ou não gostando, noite, simples assim. Sem explicações, sem nada. Treva. Não é nada além disso...

Ninguém quer mesmo vê-lo... Melhor esquecê-lo dentro da noite da cadeia.

Onde o agente penitenciário pisa não floresce esperanças.

Não nos enxergam como polícia. Não somos polícia.

Não somos sequer segurança pública, somos um embaraço, um estorvo, uma necessidade incômoda.

Somos o silêncio da cadeia, frágil, que se quebra em mil pedaços. Somos cadeados fechados, portas trancadas. Somos lâmpadas que para a sociedade, para os governantes, não acendem.

Lâmpada que não se acende é apenas noite.

Somos a treva e na treva permanecemos mergulhados.

As noites na cadeia são tão frágeis... tão frágeis...

E o grito, o grito e seu lamento dentro da noite?

Descubro quase sem querer, o dono do grito, a aflição dentro dele. Não era um lobo, não era um bicho, não era ladrão que gritava.

O dono do grito era eu... era eu... um agente penitenciário!

Deixe seu Comentário

Leia Também

FÁTIMA DO SUL - SEGUNDA DA LIMPEZA
Confira as ofertas da segunda da limpeza do Mercado Julifran em Fátima do Sul
TRAGÉDIA - NATURAL DE FÁTIMA DO SUL
Natural de Fátima do Sul, homem perde controle e morre após colidir moto em guard rail
FATIMA DO SUL
As vespera do jogo do Brasil Fátima do Sul entra no clima da Copa do Mundo
FATIMA DO SUL
I Arraiá do Kaquinho reune vizinhos e familiares em Fátima do Sul
FATIMA DO SUL - POLACO RESTAURANTE
Churrasco neste domingo no Polaco Restaurante e jogo da seleção em Fátima do Sul
FÁTIMA DO SUL - NESTE DOMINGO
1ª Feijoada do Cupim acompanhada com 'Resenha do Samba' e jogo da seleção em Fátima do Sul
FÁTIMA DO SUL - NA NOSSA LOJA
FÁTIMA DO SUL: Chegaram a nova coleção inverno 2018 na Nossa Loja, venha conferir as lindas blusas
FÁTIMA DO SUL - NESTE DOMINGO NO CUPIM
1ª Feijoada do Cupim acompanhada com 'Resenha do Samba' e jogo da seleção em Fátima do Sul
FÁTIMA DO SUL - A COPA CHEGOU NO O BOTICÁRIO
Seleção O Boticário - itens indispensáveis para jogar bonito em Fátima do Sul
FATIMA DO SUL - FESTA MANIA
Festa Mania: uma loja para voce fazer "a Festa" agora em Fátima do Sul