Menu
PASSARELA
quarta, 18 de julho de 2018
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Pesadelo

Estelionatário aplica golpe da casa própria e prejuízo chega a R$ 70 mil

Aproximadamente 30 pessoas foram vítimas

25 Ago 2017 - 07h37Por Midiamax

O sonho da casa própria acabou virando pesadelo para várias pessoas, aproximadamente 30, depois de serem enganadas por um estelionatário que se dizia influente na Emha (Agência Municipal de Habitação de Campo Grande) e que conseguira imóveis já retomados por falta de pagamento dos mutuários.

O golpe era muito bem planejado, segundo o delegado Valmir Moura Fé, com ligações de um casal que se passava por funcionários da Emha confirmando o cadastro feito com Edson do Vale, de 54 anos, o estelionatário. Após as ligações e pedidos de que aguardassem a liberação dos imóveis, Edson levava as vítimas a condomínios, onde tinha conhecimento da retomada de casas pela Caixa, por falta de pagamento.

Edson ainda teria feito amizade com um dono de um mercado, no Bairro São Conrado, que acabou vítima do autor também. Ao conquistar a amizade do homem, Edson teria pedido para ele oferecesse as casas para as pessoas da região dizendo que tinha como arrumá-las.

Para conseguir o imóvel o interessado tinha de dar uma entrada no valor de R$ 2.600, e aproximadamente 30 pessoas acabaram caindo no golpe. O comerciante, com quem o estelionatário fez amizade, perdeu o valor de R$ 14.600.

Uma moça de 20 anos entregou o dinheiro do acerto depois de sua demissão do serviço a Edson, R$ 2.600. Já uma família interessada nas casas acabou perdendo o valor de R$ 7.500. o valor total do prejuízo é de aproximadamente R$ 70 mil.

Uma das vítimas de Edson procurou a delegacia de polícia neste mês, depois que a promessa da entrega da casa para julho não se concretizou. A prisão preventiva de Edson, que está foragido, já foi pedida pelo delegado, que ainda deve pedir uma relação dos imóveis retomados a Caixa Econômica Federal.

Em janeiro de 2016, ele foi preso durante uma operação do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assalto e Sequestro) que tinha como vítimas proprietários de oficinas mecânicas de Campo Grande. Edson e seu comparsa iam até as oficinas mecânicas levando seus supostos veículos para fazer orçamento do conserto dos carros, momento em que apresentavam-se para os proprietários como 'policial federal', ou como 'auditor da receita federal' e ainda como 'fiscal de rendas estadual'.

Logo em seguida ofereciam para as vítimas materiais como ferramentas, máquinas e elevadores para veículos a um preço abaixo do mercado, já que seriam produtos de apreensão feitas pela polícia.

Os estelionatários exigiam um depósito de adiantamento que variava de R$ 2 mil a R$ 5 mil, para a liberação dos equipamentos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Campo Grande
Jovem de 25 anos é morto com tiro no abdômen por ocupante de caminhonete
Campo Grande
Tratado como mendigo no mercado por causa da roupa de trabalho, ele descobriu o preconceito
PCC - Justiça condena membro do PCC
Acusado de integrar PCC e matar jovem é condenado a 22 anos de prisão
SUPER IDOSA
Idosa ameaça incendiar filha e corpo de bombeiros é acionado
MS - Vitimas da Gripe
Estado registra 23 mortes por gripe este ano
Campo Grande
Após acidente, trio que roubou Hilux e R$ 100 mil é preso pelo Choque
Tribunal do Crime
Acusado de participar de execução gravada, vai a julgamento amanhã
CAMPO GRANDE
Bebê e criança ficam gravemente feridos durante incêndio
ENCONTRADA
Após apelo da família, adolescente de 13 anos desaparecida é localizada
Campo Grande
Corpo resgatado de poço teve olho arrancado e foi queimado antes de ser jogado em buraco