Menu
PASSARELA
sábado, 23 de junho de 2018
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Papiros de Lama

Delação listou sete empresas como fornecedoras de notas frias para Puccinelli

Empresas possuíam contratos milionários com o governo

15 Nov 2017 - 08h46Por Midiamax

Na delação premiada acordada com a Polícia Federal, o ex-operador de André Puccinelli, Ivanildo da Cunha Miranda, detalhou o suposto esquema de recebimento de propina paga pelo grupo JBS ao Governo de Mato Grosso do Sul entre os anos de 2007 e 2013. O delator revelou em depoimento quais empresas teriam sido indicadas pelo então governador para receber valores supostamente ilegais.

Ivanildo disse a delegado da PF que a empresa JBS pagava, com frequência, notas frias emitidas por empresas de Mato Grosso do Sul. Todas as notas eram levadas diretamente para o executivo Joesley Batista ou então para Demilton Antonio de Castro, diretor da JBS que atuava no setor financeiro.

O delator afirma que as empresas Gráfica Alvorada, Proteco Engenharia, Mil Tec Tecnologia, PSG Tecnologia, Itel Informática, Congeo e Instituto Ícone, este último de propriedade de André Puccinelli Júnior, filho do ex-governador, não prestaram serviço para a empresa, mas receberam altos valores.

Segundo Ivanildo, só em nome da Gráfica Alvorada, que tem o empresário Mirched Jafar como proprietário, foram pagos, de uma só vez, R$ 5 milhões em notas. Outro grande montante foi repassado para a Proteco, de Jão Krampe Amorim: R$ 9 milhões e Instituto Ícone: R$1,2 milhão. Todos os dados, segundo Ivanildo, constam em planilhas gerenciadas por ele até o final de 2013.

A indicação de quais empresas teriam as notas pagas era feita, conforme o delator, pelo próprio ex-governador. O destino final dos valores, no entanto, não é detalhado por Ivanildo.

O mesmo delegado que ouviu os relatos de Ivanildo também colheu depoimentos de Demílton, da JBS. Ele confirmou vários nomes de empresas citadas por Ivanildo e incluiu novas. O diretor do grupo conta que o ex-operador de Puccinelli indicou as empresas Germinas, João Barrison, Bateforte e Força Nova para também terem notas supostamente frias quitadas pela JBS.

O diretor do grupo afirmou, ainda, que mesmo depois que Ivanildo deixou a função de operador de Puccinelli, o mesmo procedimento era adotado com André Luiz Cance, ex-secretário de Fazenda do Estado. Ele teria assumido o “posto” de operador do esquema, segundo a PF, a partir de 2014, último ano de mandato de Puccinelli.

As defesas de Puccinelli e de Ivanildo disseram ao Jornal Midiamax que os clientes negam envolvimento em esquema criminoso.

Operação

​De acordo com a PF o grupo criminoso, com a participação dos Puccinelli, direcionou licitações, superfaturou obras públicas, fez compra fantasmas de produtos, financiou atividades privadas de estatais sem relação com atividade-fim do órgão, cobrou propina para conceder incentivos fiscais e corrompeu agentes públicos.

Após os desvios, o grupo agiu em diversos processos para tentar esconder a origem do dinheiro arrecadado de forma ilícita, o que configurou o crime de lavagem de dinheiro.

 

A empresa do filho do ex-governador é suspeita de vender livros jurídicos para uma concessionária de serviços públicos sem relação alguma com universo dos advogados. Essa seria uma das formas de lavar o dinheiro desviado.

Nesta etapa da operação, a PF informou que houve colaboração de alguns investigados. Com a delação, exames periciais e análise de diversos documentos apreendidos nas outras quatro fases da Lama Asfáltica, os policiais conseguiram comprovar desvios e superfaturamentos de obras públicas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BICHO PARLAMENTAR
Gambá movimenta Câmara ao invadir gabinete de vereador
Campo Grande
Homem de 33 anos morre ao sofrer queda de moto na Capital
ALTA VELOCIDADE
Casal morre e homem fica ferido em acidente com carro na contramão
Mato Grosso do Sul
Governo vai recorrer de suspensão de concurso da PM e Bombeiros
SUSPEITA DE HOMICIDIO
Assassinos fogem após tocar fogo no veículo
MANIACO SEXUAL
"Tarado da Shineray" é preso com corda, camisinha e faca
ASSASSINATO - VÍDEO
Câmeras de segurança flagram instante antes de ex-PM ser executado
ACIDENTE DE MOTOCICLETA
Com moto do pai, jovem morre ao bater no muro
EXECUÇÃO
AGORA: Chefe de segurança da Assembleia Legislativa é executado a tiros de fuzil na Capital
FATALIDADE
VÍDEO: ciclista idoso que caiu em córrego morre na Santa Casa após cinco paradas cardíacas