SUCURI_MEGA
FatimaNews - Notícias de Fátima do Sul e região
Fátima do Sul, 16 de Dezembro de 2017
DELPHOS_FULL
RIO_DOURADOS
18 de Dezembro de 2004 10h21

"Zona Azul de Dourados e suas lições" de Reinaldo Rodrigues

ZONA AZUL DE DOURADOS E SUAS LIÇÕES.

 

 

 

*Reinaldo Rodrigues

 

Quando, pela primeira vez, vi jovens adolescente de ambos os sexo garbosos e bem uniformizados, trabalhando na Zona Azul de Dourados, imediatamente aplaudi a idéia, pois nossos jovens precisam começar a trabalhar para poder pleitear emprego munidos da famigerada experiência, para  poder satisfazer as exigências do primeiro patrão.

Mas como sempre estou em Dourados, passei a observar o trabalho e a conduta dos “guardinhas”, e, infelizmente o que vi não me agradou e me trouxe muitas preocupações.

Vejamos, de 20 carros estacionados na Avenida Weimar Torres, entre a Av. Presidente Vargas e a João Rosa Góes, a mais ou menos uns quinze dias atrás, apenas quinze por cento tinham cartão de estacionamento, demonstrando claramente um tratamento desigual com o usuário, contrariando não só as leis vigentes, mas também o primário ensinamento de que somos todos iguais e temos os mesmos direitos e deveres.

Certo dia, eram mais ou menos 10:00 horas, cheguei em Dourados e ao estacionar o carro, lá veio um jovenzinho  bem educado, e travamos o seguinte diálogo:

- Tio, quer comprar um talão!

- Vou comprar, mas me explique porque eu tenho que adquirir o cartão e colocá-lo, estes outros carros estão sem ele?

- Olha tio, quando eu cheguei aqui, estes carros já estavam estacionados e nada posso fazer.

- Mas tem carro que estacionou a poucos minutos, e seu colega não foi até lá vender ou cobrar o estacionamento, porque?

- Vamos fazer o seguinte: o senhor compra e não precisa colocar. Só compra né!

Estacionou outro veículo. O mesmo “guardinha”, após ter-me vendido e colocado o cartão no meu carro, foi até o usuário e tentou vender um talão. O homem simplesmente fitou-o e lhe disse: não amola guri! Imediatamente o menino humilhado, voltou-se e se afastou do local, indo para a outra esquina, quando, acho eu, que o guarda mirim deveria ser orientado para, neste caso, chamar um policial militar e fazer valer a sua autoridade.

Outro fato constrangedor que aconteceu comigo foi quando estacionei perto de uma agência bancária localizada em frente a praça Tenente Antonio João, que muitos dos “guardinhas” com certeza não sabem quem foi ou que fez para merecer a honra de ter seu nome dado aquele logradouro, procurei um guardinha e não encontrei nenhum ali por perto, pois era hora do almoço, e quando voltei tinha uma ameaçadora intimação para eu comparecer em uma repartição para pagar, não me lembro bem, se  uma multa ou o valor do estacionamento, ao chegar lá argumentei e informei que não tinha como comprar e colocar o talão, pois não havia nenhum dos meninos lá para vendê-lo, a resposta foi dura, ríspida e desrespeitosa: tinha sim, disse o funcionário, esta história é velha, tá vô! Pois tenho sessenta anos e cabelos  brancos. Após enfrentar a fila paguei a multa e vim embora para Fátima, analisando todo o acontecido.

Pensei : os responsáveis pelos “guardinhas” e sua atuação, tem o dever de orientá-los, fiscalizá-los, dar-lhes cobertura e amparo moral sob pena de transformar a Zona Azul em uma escola do quebra-galho, do jeitinho, da propina, das carteiradas e da desmoralização de nosso bem maior, a JUVENTUDE! 

 

 

Reinaldo Rodrigues de Almeida - Advogado

Comentários
Veja Também
SADER_LATERAL
LISTINHA_ONLINE
FORTALEZA
Últimas Notícias
  
LISTINHA_ONLINE
Eventos
dothCom © Copyright FatimaNews - Todos os Direitos Reservados.