Menu
SADER_FULL
sábado, 23 de fevereiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Zeca sela compromissos para melhorar educação nas aldeias de MS

26 Jul 2010 - 13h59Por Fátima News com a Assessoria

Professores e lideranças guarani e kaiowá se reuniram com o candidato a governador de Mato Grosso do Sul, Zeca do PT, na tarde do sábado (24), em Dourados, e entregaram a ele uma carta compromisso contendo as reivindicações para melhorar a educação indígena e as condições de vida nas aldeias. Zeca considerou justos os pedidos e deu garantia de que vai atender todos. Lembrou das realizações de seu governo neste setor, tendo construído várias escolas em aldeias e comunidades indígenas e criado o Bolsa-Universitária Indígena, para possibilitar aos jovens indígenas o acesso a universidades; e o programa Segurança Alimentar que distribuía cestas de alimentos todos os meses para 10.883 famílias indígenas.

 

 

A carta é destinada a Zeca, ao senador Delcídio do Amaral, ao deputado federal Antônio Carlos Biffi, ao deputado estadual Pedro Kemp, ao ex-prefeito Laerte Tetila (candidato a deputado estadual) e ao candidato a deputado federal João Grandão. O Movimento de Professores e Lideranças Guarani e Kaiowá manifestam preocupação com “a política atual de desrespeito e violação aos direitos indígenas”, citando a contínua e crescente onda de violência nas aldeias, a não demarcação das terras, falta de investimentos na saúde, educação, cultura, combate ao preconceito e outros problemas que assolam as comunidades guarani e kaiowá do Estado.

 

 

A carta compromisso é assinada por 46 integrantes do Movimento e contém 19 reivindicações:

 

 

  • Criar a Secretaria Estadual de Assuntos Indígenas de Mato Grosso do Sul;

     

  • Criar a Coordenadoria Estadual de Educação Escolar Indígena dentro da Secretaria Estadual de Educação;

     

  • Efetivar o termo de colaboração entre o MEC (Ministério da Educação), Estados e Municípios dentro do processo dos territórios etnoeducacionais, elaborando as diretrizes para implementação do mesmo;

     

  • Melhorar, republicar e fortalecer o Conselho Estadual de Educação Escolar Indígena como órgão deliberativo;

     

  • Criar no interior do Partido dos Trabalhadores o Setorial Indígena do Conesul;

     

  • Promover o II Congresso Estadual de Educação Escolar Indígena para elaborar as diretrizes da educação básica;

     

  • Proporcionar condições para o debate sobre a implementação das escolas indígenas de Mato Grosso do Sul, com a efetiva participação das comunidades indígenas;

     

  • Promover encontros e oficinas para a elaboração de material didático e para-didáticos para as escolas indígenas e não indígenas, a fim de atender as legislações estadual e federal específicas da LDB, resoluções do CNE e CEE/MS, da CONEEI, entre outros;

     

  • Desenvolver uma política que garanta a educação não discriminatória e laica em todos os níveis de ensino, no sentido de superar os preconceitos, respeitando as diversidades e as diferenças;

     

  • Fortalecer a política de formação específica para os guarani e kaiowá no Ensino Médio Ará Verá, reconhecendo todo processo de construção desenvolvido por sua equipe pedagógica e parceiros;

     

  • Fortalecer convênio da SED/MS com a UFGD para atender a formação específica em nível superior para os professores guarani e kaiowá;

     

  • Promover a discussão de novos cursos médios e superiores específicos para os guarani e kaiowá;

     

  • Criar políticas lingüísticas específicas para fortalecer a língua guarani e suas variações, considerando que a língua é um dos elementos fundamentais da cultura guarani e kaiowá;

     

  • Criar políticas públicas no âmbito de: saúde, previdência, segurança, sustentabilidade, agricultura, meio ambiente, água, geração de renda, esporte e lazer, moradia, acesso e permanência de estudantes na universidade;

     

  • Agilizar os processos judiciais de investigação e julgamento de crimes contra a vida e os direitos dos indígenas;

     

  • Promover, respeitar a cultura guarani e kaiowá;

     

  • Apoiar a política de demarcação de terras indígenas guarani e kaiowá, garantindo a seguranças dos seus GTs.

     

  • Criar espaços institucionais que promovam o diálogo intercultural;

     

  • Respeitar os movimentos indígenas como instâncias legítimas e representativas dos guarani e kaiowá.

     

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

PEDOFILIA
Babá de 15 anos recebia dinheiro para ter relações com patrão
PREOCUPANTE
Mineradora declara situação de emergência em barragem de Araxá
INTOLERANCIA RELIGIOSA
Delegado solicita ida à casa do 'BBB 19' para interrogar Paula, investigada por intolerância
RESUMO DAS NOVELAS
Mercedes convoca Murilo para uma conversa
CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico