Menu
LIMIT ACADEMIA
segunda, 19 de novembro de 2018
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
SICREDI_FATIMA
Brasil

Zé Teixeira defende consulta sobre aumento em custas processuais

14 Ago 2007 - 14h41

O deputado estadual Zé Teixeira (DEM) sugeriu nesta terça-feira a realização de consulta popular, por meio de urnas instaladas em locais estratégicos, para medir o grau de aceitação do povo sobre o projeto de lei complementar 004/2007,  que prevê elevação de 5% no valor das custas processuais e emolumentos extrajudiciais.

 

Encaminhada à Mesa Diretora da Assembléia Legislativa de Mato Grosso do Sul pela Defensoria Pública, a proposta provocou polêmica na sessão desta terça-feira da Casa.

 

Membros da Anoreg/MS (Associação dos Notários e Registradores de Mato Grosso do Sul) fizeram lobby pelos corredores do Legislativo na tentativa de facilitar a aprovação da matéria polêmica.

 

Durante as discussões sobre esse tema, Zé Teixeira alertou que a população não suporta mais tanta carga de impostos e taxas no País.

 

“O povo não agüenta mais pagar tudo quanto é taxa para melhorar a Defensoria Pública, para melhorar o Judiciário, para melhorar os fóruns, para criar mais comarcas. Nós sabemos que o Estado é um Estado pobre e, talvez, o duodécimo não seja suficiente à contraparte que ele toca, agora, acho que sobretaxar, colocar mais custos cartorários, penaliza a população”, disse.

 

Zé Teixeira avalia ainda que transferir para o Legislativo as questões funcionais de um sindicato de uma categoria, ainda mais uma categoria de peso como a de defensor público, seria muito desagradável para os parlamentares, porque, segundo ele, já existe o estatuto funcional da entidade e a Constituição, que regem de que forma deve ser. “Então não precisaria de eleição da categoria de sindicato nenhum”, protestou o deputado.

 

Zé Teixeira lembrou que o governador André Puccinelli (PMDB) assumiu o Estado e enxugou a máquina da administrativa com o apoio dos demais poderes, por isso acha que cada um tem que dar a sua cota de contribuição. 

 

“O que é que o usuário de cartório tem a ver com o funcionamento de sindicato? O sindicato tem que fazer a contribuição como o Partido dos Trabalhadores faz, contribui com um percentual de seu salário, agora, querer criar 5% de custas em cartório para pesar em cima dos ombros do contribuinte, isso não é correto”, observou.

 

 

 

Fátima News

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVO GOVERNO
Desistência de general para ministério leva crise ao QG de Bolsonaro
ASSASSINATO
Câmeras flagram dupla efetuando mais de 30 tiros contra homem; veja o vídeo
TRISTEZA
Menino de 10 anos comete suicídio após a prisão do pai
MALDADE
Câmera de segurança flagra homem colocando fogo em casinha comunitária para cachorros
FATIMASSULENSES EM UBATUBA (SP)
Fatimassulenses, alunos do Vicente Pallotti fazem curso de biodiversidade marinha em Ubatuba (SP)
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Gabriel se declara para Luz e os dois se beijam
MULHERES TEM QUE DENUNCIAR
Jovem posta foto com rosto inchado para denunciar agressão do namorado
ENCONTRO DE GOVERNADORES
Em encontro de governadores com Bolsonaro, Reinaldo defende fronteira e reajuste da tabela SUS
VIOLENCIA DOMESTICA
Homem é esfaqueado por esposa que tem ciumes até da sombra
ENTROU ATIRANDO
VÍDEO: Pastor é baleado no altar durante o culto