Menu
SADER_FULL
terça, 22 de janeiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Violência diminui em escolas com maior participação de pais

27 Set 2004 - 18h00
Quanto maior a participação da comunidade -sobretudo dos pais - na vida da escola, menor é o índice de violência entre os alunos. Essa é a opinião de gestores de duas escolas estaduais de Campo Grande, localizadas em regiões distintas: Urani Simplício de Oliveira, da unidade Blanche dos Santos Pereira, no bairro Tijuca I, e José Félix Filho, da Escola Estadual Rui Barbosa, no bairro Santo Antônio.

De acordo com o diretor José Félix, a escola que dirige, com 2,2 mil alunos, registra poucos casos de violência, dentro e fora do pátio, graças às ações preventivas com os alunos em geral e conciliação com os envolvidos.

Quase sempre a direção chama a família, conversa com ela e tenta resolver a situação. “Se uma briga de alunos é muito grave, trocamos o turno de estudo deles. Quanto mais os pais participam da escola, menor é a violência”, afirma o diretor.

A solução para desentendimentos e outros casos de violência na Escola Blanche dos Santos Pereira, que são poucos, também passa pela conversa e por ações preventivas. “Até hoje nunca precisamos transferir um aluno e, se há uma situação que extrapole o normal, o Colegiado Escolar ajuda a resolver”, revela a diretora, Urani.

O trabalho de prevenção à violência na escola, que tem quase mil alunos, é feito desde os pequenos, por meio de palestras de oficiais da Polícia Militar e, atualmente, com atividades de esporte, cultura e lazer.

A diretora acredita que os trabalhos e projetos desenvolvidos por escolas como a sua serão reforçados com as ações do Fórum Escolar de Ética e de Cidadania. Esta instância deverá ser criada pelas unidades que aderirem ao programa Ética e Cidadania Construindo Valores na Escola e na Sociedade.

Para o representante da Subsecretaria de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente, do governo federal, Alberto Albino dos Santos, o fórum terá um caráter prático e vai funcionar “como uma assembléia democrática para resolver conflitos e construir novas relações na escola”.
 
APn

Deixe seu Comentário

Leia Também

PERSISTÊNCIA
Filho de faxineira e porteiro passa em medicina no Paraná
RENOVAÇÃO LICENÇA
Extinção de mais 130 rádios comunitárias no Brasil deve alcançar emissora de Ponta Porã
CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho