Menu
SADER_FULL
quarta, 17 de julho de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Vereadores se reúnem para decidir rumos após prisões em Dourados

1 Set 2010 - 13h52Por Campo Grande News

Os vereadores Gino Ferreira (DEM), Delia Razuk (PMDB) e Dirceu Longhi (PT), únicos que não foram presos pela Polícia Federal por meio da operação “Uragano”, devem se reunir entre hoje e amanhã para decidir o futuro da casa legislativa.

O presidente da Câmara, Sidlei Alves (DEM), o vice, Zezinho da Farmácia (PSDB), e mais sete parlamentares – José Carlos Cimatti (PSB), Aurélio Bonatto (PDT), Humberto Teixeira Júnior (PDT), Júlio Artuzi (PRP), Marcelo Barros (DEM), Paulo Henrique Bambu (DEM) e Edvaldo Moreira (PDT) –, estão presos na sede da Polícia Federal, acusados de formação de quadrilha, corrupção, enriquecimento ilícito e fraudes em licitações.

Tanto Gino quanto Délia concederam entrevista nesta manhã à rádio Grande FM e pediram cautela enquanto transcorrem as investigações.

“A gente não pode tomar medidas sem pensar, vamos nos reunir e ver isso, temos que dar uma satisfação para a sociedade, desempenhar o nosso trabalho, mas uma satisfação sensata”, disse Gino, que também foi convocado pela Polícia Federal para prestar esclarecimentos.

Ele não revelou o teor das perguntas feitas pelo delegado Bráulio Galloni, que conduz as investigações.

“Vim para ajudar nos esclarecimentos. Fiquei surpreso em ter que acordar e ir à Polícia Federal, mas viemos para contribuir para que a Justiça seja feita”, declarou.

Délia Razuk disse que não sabia de todo o esquema e que se surpreendeu ao saber das prisões nesta manhã.
“Realmente é uma situação bem dolorosa, desagradável, estamos aguardando o desenrolar dos fatos, mas acredito na Polícia Federal, na Justiça. Não tinha conhecimento de muita coisa da prefeitura, cuidava exclusivamente do meu mandato, mas agora é hora da gente ter calma, sensatez, aguardar, não podemos tomar nenhuma posição antes que a Justiça se manifeste”, opinou.

A vereadora também pediu calma à população, que naturalmente está estarrecida com a situação de caos que se instalou no município.

“Quero pedir calma à população, não julgar antes das investigações. Quem tiver alguma coisa que não seja de acordo com a lei vai ser incriminado, então precisamos ter cautela e acreditar na nossa cidade, nosso povo. Os políticos sérios, comprometidos, vão continuar atuando pelo bem da comunidade”, declarou.

O vereador Gino Ferreira, que é segundo suplente de Waldemir Moka (PMDB) na corrida pelo Senado, destacou o desgaste político que Dourados sofre com tantas prisões.

“Com certeza é um prejuízo político enorme para Dourados e todo o Estado, temos que repensar tudo que está acontecendo para colocar a cidade no rumo certo”, disse.

Delia Razuk disse que vai destacar, na reunião com os colegas que não foram presos pela Polícia Federal, a importância de esquecer rixas partidárias e pensar em uma boa solução para os trabalhos na Câmara.

“Vou entrar em contato com os vereadores, marcar uma reunião, temos compromisso com nossa população e agora não é hora de partido, de política, é hora de cuidar da nossa cidade”, finalizou, em entrevista ao jornalista Antônio Coca, da Grande FM.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DESCARGA ELÉTRICA
Técnico de Rerigeração morre após sofrer choque ao manusear microondas
DOENÇA DO SÉCULO
Rapaz que se jogou da ponte do Rio Piquiri se despediu de amiga antes
COMOÇÃO
Jovem de 19 anos morre após contrair bactéria em parto
NOVELA GLOBAL
Josiane mata de novo em 'A dona do pedaço': saiba quem é a próxima vítima!
NOVELA GLOBAL
'A dona do pedaço': Maria da Paz conhece Gilda, que lhe vende mansão cara
ECLIPSE LUNAR
Eclipse parcial da Lua poderá ser visto em todo o Brasil; veja os horários
BARBÁRIE
Moça de 22 anos é agredida até a morte após se negar a fazer sexo
COMOÇÃO
Jovem Lenara, filha de vice prefeito morre vitima de câncer
100 REMEDIOS
Ministério da Saúde suspende fabricação de 19 remédios;veja aqui a lista dos medicamentos cortados
ABANDONADA NO ALTAR
Morre jovem que casou sozinha após ser abandonada no altar