Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 23 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Vereador de Terenos é indiciado por morte de irmão

16 Ago 2007 - 16h59
O vereador de Terenos Hélio Locks foi indiciado pela Polícia Civil por homicídio doloso e porte ilegal de arma de fogo. Ele é acusado de ser o mandante do assassinato do irmão, Sérgio Locks, 40 anos, que morava em Blumenau, município de Santa Catarina, e estava havia poucos dias na cidade que fica a 31 quilômetros da Capital.
 
Hélio nega envolvimento, assim como os outros dois indiciados pelos mesmos crimes. Milton de Souza Brito, que teria sido o autor dos cinco tiros que atingiram a vítima, e José Itamar da Cruz, suspeito de colaborar com o crime. A Polícia Civil chegou a suspeitar dos três após diversas contradições nos depoimentos. A polícia ainda não sabe a motivação para o crime.
 
De acordo com o laudo pericial, Sérgio morreu por volta de 7 horas de 2 de julho em uma área de mata fechada da Fazenda Santa Rosa, distante cerca de 20 quilômetros da área urbana de Terenos. Um dia antes, Hélio avisou a Milton, que é caseiro da propriedade onde o corpo foi encontrado, que o irmão iria caçar e talvez fosse almoçar na casa de Milton.
 
Hélio disse à polícia que subiu com o irmão em uma árvore à espera de caça, ficou alguns minutos e depois foi embora. Mais tarde, ligou para Milton e perguntou se Sérgio tinha ido almoçar. Diante da negativa de Milton, pediu para que verificasse o que havia ocorrido e, então, o caseiro da fazenda retornou a ligação dizendo que Sérgio foi encontrado morto.
 
À polícia, a informação inicial era de que Sérgio havia caído da árvore. Ao chegar no local foi constatado que tratava-se de um homicídio. Hélio acompanhou o trabalho da perícia e não esboçou nenhuma reação de surpresa ou indignação, segundo a polícia.
 
Ao ser informado que o irmão havia sido assassinado, pediu água, alegando estar com sede, pois havia acabado de descarregar um freezer e quando a polícia perguntou no local sobre os tiros, disse “ninguém ouviu tiro aqui”. Ele foi ouvido no mesmo dia, assim como outras pessoas, e omitiu que havia telefonado a Milton logo após saber da morte, pedindo para que retirasse as armas do local.
 
A informação sobre o telefonema foi dada por Milton, que disse ainda que pediu a José Itamar que retirasse a arma e não armas. No local, a polícia encontrou uma que seria utilizada por Sérgio para caçar e nas proximidades foi localizado um revólver calibre 22. De acordo com a perícia, foi esta a arma utilizada para matar Sérgio.
 
Em depoimento, o vereador disse ainda que na hora em que o crime ocorreu, falava ao telefone com o prefeito da cidade, Humberto Pereira, informação confirmada por ele. Porém o telefonema foi dado após o horário em que o crime teria ocorrido, segundo levantou a polícia. O vereador afirmou também que esteve em uma padaria da cidade no início daquela manhã. Segundo consta na investigação, funcionários disseram não tê-lo visto.
 
Tiros - Sérgio foi morto com um tiro no pé, dado de baixo para cima, o que segundo a polícia, o teria derrubado da árvore. Ele foi atingido ainda por um disparo na cabeça e outros três no pescoço, quando já estava no chão. A cena do crime teria sido alterada, conforme laudo pericial.
 
No início daquela manhã, Milton ainda perguntou à esposa se tinha ouvido um tiro, ela teria respondido que aquele já era o terceiro que ouvia. O caseiro disse à polícia que no horário do crime estava cuidando de porcos.
 
Hélio já prestou dois depoimentos à polícia. O segundo na presença de advogados. A Polícia Civil chegou a pedir a prisão temporária e preventiva dele, o que foi negado pelo juiz da comarca de Terenos, José Berlange de Andrade. O parecer do MPE (Ministério Público Estadual) foi favorável para os dois pedidos. O inquérito ainda não foi concluído porque a Polícia Civil pediu mais prazo.

Defesa
O advogado Rubens Barbirato, que defende o vereador, disse que Hélio não tem qualquer envolvimento com o assassinato do irmão. Segundo o advogado, não há provas que incriminem o vereador e ele vê o indiciamento como resultado de “suposição do delegado”. Barbirato diz acreditar que Hélio não chegará a ser denunciado pelo MPE. A reportagem do Campo Grande News tentou várias vezes falar com o vereador na Câmara de Terenos porém os telefones não atendem.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PERSISTÊNCIA
Filho de faxineira e porteiro passa em medicina no Paraná
RENOVAÇÃO LICENÇA
Extinção de mais 130 rádios comunitárias no Brasil deve alcançar emissora de Ponta Porã
CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho