Menu
SADER_FULL
quinta, 17 de janeiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Vendas de caminhões crescem 23,73% no ano

2 Set 2004 - 07h53
As vendas de automóveis e comerciais leves somaram 121.707 unidades em agosto, ou 2,95% menores do que em julho deste ano. Em comparação com agosto de 2003, a alta é de 29,38%. No acumulado do ano até agosto, as vendas chegaram a 922.802 veículos, um aumento de 13,25% sobre os primeiros oito meses de 2003, segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), representante das concessionárias.

A comercialização de caminhões continuou aquecida, puxada pelo agronegócio. Foram vendidos em agosto 7.312 mil unidades, ou 3,34% a mais do que julho e 36,55% a mais do que em agosto do ano passado. No ano, as vendas de caminhões somam 53.069 unidades, 23,73% acima do mesmo período em 2003.

Segundo a federação, a Fiat fechou agosto na dianteira das vendas de automóveis, com 25,9% de participação. Está quase empatada com a GM, com 24,91%. O terceiro lugar ficou com a Volkswagen, com 22,61%. Na área de caminhões, há empate entre as líderes Mercedes-Benz (30,83%) e Volkswagen (30,35%).

 

Estadão

Deixe seu Comentário

Leia Também

CARNAVAL É NO CAMPO BELO RESORT
Carnaval é no Campo Belo Resort, reserve já seu lugar nesse bloco - Confira os pacotes
MS EM ALERTA
Meteorologia alerta para a possibilidade de chuva forte no fim de semana no MS
DECEPCIONADA
Regina Duarte surpreende e se posiciona contra atitude de Bolsonaro
SATÂNICO
Mulheres são presas acusadas de torturar criança de apenas dois anos que teve rosto desfigurado
INSPIRAÇÃO
Idoso se forma em Direito aos 94 anos, após morte da esposa
POLEMICA
Movimento Gay quer tirar Bíblia de circulação no Brasil, diz Damares
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem atira em esposa e se mata com granada
SUPERAÇÃO
Pedreiro cadeirante enfrenta difilculdades e sustenta a família trabalhando em obras
GASES MORTAIS
Homem morre após segurar peidos na casa da namorada
REALITY SHOW
'BBB 19': Danrley diz ser virgem, e irmã brinca: 'Nem no signo'