Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 23 de janeiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Venda da Ipiranga cria 2ª maior distribuidora de combustível

19 Mar 2007 - 13h26

A Petrobras, a Braskem e o Grupo Ultra confirmaram na manhã desta segunda-feira (19) um acordo para a compra do Grupo Ipiranga, por cerca de US$ 4 bilhões. A Ipiranga, que em 2006 teve receita líquida de R$ 31 bilhões, possui operações nas áreas de produção e distribuição de petróleo e derivados e petroquímicos. Se concluída a compra, será um dos maiores negócios do setor químico e petroquímico dos últimos tempos. O acordo prevê que a Petrobras assuma a rede de distribuição de combustíveis Ipiranga nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do país, podendo utilizar a marca durante cinco anos.

O Grupo Ultra ficará com a rede de distribuição de combustíveis nas regiões Sudeste e Sul, mantendo a marca Ipiranga. As operações petroquímicas da Ipiranga – Ipiranga Petroquímica e Copesul – serão detidas conjuntamente pela Petrobras (40%) e pelo Grupo Ultra (60%). Já a Refinaria Ipiranga, no Rio Grande do Sul, será controlada, em partes iguais, pela Petrobras, Grupo Ultra e Braskem. Após a conclusão da operação, prevista para o quarto semestre deste ano, o Grupo Ultra, atualmente maior distribuidora de gás liquefeito de petróleo (GLP) do país, terá a segunda maior rede de distribuição de combustíveis, com 15% de participação no setor – posição atualmente detida pela Ipiranga.

Já a participação de Petrobras deve subir de 30% para cerca de 37%, com 3.185 postos de combustível em operação. Em entrevista na manhã desta segunda, o presidente do Grupo Ultra, Pedro Wongtschowski, apontou que, com o crescimento do mercado para o etanol brasileiro, a compra do Grupo Ipiranga ganha importância: "A aquisição ganha maior relevância no atual cenário, em que o álcool e o biodiesel terão participação cada vez mais expressiva no mercado de combustíveis", afirmou.

A operação

Do total de US$ 4 bilhões da operação, a Petrobras deve arcar com US$ 1,4 bilhão em recursos próprios. A fatia da Braskem será de US$ 1,1 bilhão, também em recursos próprios e linhas de financiamento, enquanto o custo para o Grupo Ultra deve ficar em torno de US$ 1,6 bilhão, com a emissão de 52,8 milhões de ações. O

 primeiro passo da compra será a aquisição pelo Grupo Ultra das ações das famílias controladoras do Grupo Ipiranga. Em seguida, será feita uma oferta pública de compra das ações em poder dos acionistas minoritários da companhia, também pelo Ultra. Braskem e Petrobras farão proposta para fechamento de capital da Copesul.

 
 
 
G1

Deixe seu Comentário

Leia Também

ANJO DA GUARDA
Amigo dá lar a mulher que viveu 40 anos internada no HC
MAMATA
General corta contratinho de R$ 30 milhões para manter jornalistas no exterior
PERSISTÊNCIA
Filho de faxineira e porteiro passa em medicina no Paraná
RENOVAÇÃO LICENÇA
Extinção de mais 130 rádios comunitárias no Brasil deve alcançar emissora de Ponta Porã
CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel