Menu
LIMIT ACADEMIA
terça, 22 de janeiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Vazio sanitário da soja vigora até 30 de setembro em MS

5 Jul 2010 - 07h58Por Conjuntura Online

Os produtores rurais de Mato Grosso do Sul precisam ficar atentos quanto ao vazio sanitário, medida que evita o surgimento de focos da ferrugem asiática nas plantações de soja, orienta a Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de MS) .

O vazio acontece no período de 01 de julho e 30 de setembro, tendo em vista que 90 dias antes de iniciar o plantio do grão, que começa em outubro, não pode haver o cultivo de soja. Até mesmo a sobrevivência de brotos da antiga safra, chamados de tigueiras, pode ser fator de manutenção da praga.

O vazio sanitário da soja foi instituído em 2006 em nove estados como medida para evitar que o fungo causador da ferrugem se prolifere no final da entressafra.

Em Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins, São Paulo e Minas Gerais a interrupção do plantio do grão acontece a partir de 1° de julho. No Maranhão e Bahia, começa em 15 de agosto, com duração de 60 dias. Nos demais estados o período do vazio sanitário da soja é de 90 dias.

De acordo com o assessor de agricultura da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de MS ), Lucas Galvan, a medida é a estratégia mais eficiente para o controle da ferrugem asiática.

“O vazio é uma forma do produtor controlar os focos de ferrugem na plantação, utilizando menos fungicida e diminuindo o custo da produção e os impactos ambientais”, enfatiza. Galvan ressalta que o produtor que não aderir a medida está sujeito a multa nas fiscalizações da Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária, Animal e Vegetal).

A Famasul e o governo do Estado desenvolveram cartilhas educativas que orientam os produtores sobre os benefícios em praticar o vazio sanitário. A entidade, por meio dos sindicatos rurais, e a Iagro realizam trabalhos de conscientização da classe produtora.

Em 2008, a Iagro aplicou 383 multas durante a fiscalização do vazio sanitário. Foram visitadas 4,6 mil áreas de plantio (que podem ser na mesma propriedade), em um total de um milhão de hectares percorridos em 58 municípios. Das multas aplicadas, 134 foram devido à verificação da existência de brotos remanescentes da safra 2007/2008. As outras 249 autuações foram por falta de cadastro das áreas utilizadas no plantio.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação