Menu
SADER_FULL
sábado, 23 de fevereiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
CONTAINER
Brasil

Vasco mostra cara de favorito e faz 2 a 0 no Timão

14 Out 2010 - 07h37Por G1

O Vasco está longe da disputa do título do Brasileirão, mas jogou como se estivesse bem vivo. O Corinthians segue na briga pelo caneco, porém tem atuado como candidato ao rebaixamento. Na noite desta quarta-feira, em São Januário, em partida atrasada da 18ª rodada, a equipe carioca fez 2 a 0 na paulista, cada vez mais em crise. Zé Roberto, impedido, e Eder Luis marcaram.

Na tabela, o triunfo não muda muita coisa. Agora com 41 pontos, o time de Paulo César Gusmão pulou para 11ª colocação, aspirando uma vaga na Copa Sul-Americana de 2011 e até sonhando com um lugar na Libertadores. Além disso, a vitória ameniza as críticas em relação aos constantes empates. São 14. Ninguém teve mais igualdades que o Vasco (o Botafogo tem o mesmo número).

O Corinthians, por sua vez, segue na terceira colocação, com 49 pontos. Mas com sensação de estar em posição bem pior. Antes considerado favorito, o clube do Parque São Jorge entrou em declínio nas últimas seis rodadas. Dos 18 pontos disputados, apenas dois conquistados. São dois empates e quatro derrotas. O Timão, sob o comando interino de Fábio Carille, está a três pontos do vice-líder Fluminense e a cinco do líder Cruzeiro.

Só para constar, com o resultado desta noite, o Corinthians não conquista o título simbólico do primeiro turno, que ficou com o Fluminense. Na próxima rodada, o Vasco visita o Atlético-GO, domingo, às 16h, no estádio Serra Dourada, em Goiânia. Já o Corinthians, reforçado por Ronaldo, joga contra o Guarani, no mesmo horário, no estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas.

Baile vascaíno

Só deu Vasco. No primeiro tempo, a equipe de São Januário foi soberana. Preocupado demais em proteger a sua defesa, desgastada pelos 14 gols em seis jogos, o Timão se resguardou muito no início da partida, enquanto o clube carioca aproveitou bem os espaços pelas pontas.

Foi assim que chegou ao primeiro gol, aos dez minutos. Carlinhos fez bom cruzamento da esquerda e Zé Roberto, sozinho em posição de impedimento, completou para a rede. De qualquer maneira, a zaga corintiana nada fez para tentar evitar o gol. Parou, como se estivesse em pane. Do mesmo jeito das últimas rodadas.

Melhor para o Vasco. Envolvente e com Felipe em noite inspirada, os donos da casa colocaram o Corinthians na roda. Pelas pontas, pelo meio... O Timão só chegou com perigo real aos 18, quando Danilo cruzou, e Iarley perdeu gol incrível. Detalhe perto dos inúmeros erros de passe e posicionamento.

Por falar nisso, aos 21, novamente o Vasco soube, inteligentemente, aproveitar as falhas defensivas do rival. Felipe deu ótima assistência para Eder Luis. O atacante entrou em velocidade na grande área e chutou colocado, no canto esquerdo de Julio Cesar. Depois do segundo gol, os anfitriões diminuíram o ritmo.

Mas e o Corinthians? Ah, o Corinthians errou passes, perdeu bolas e não teve chance alguma de reação. E quando a fase é ruim, Chicão, exímio cobrador de falta, acertou o companheiro William em vez do gol. O Timão ainda teve uma baixa. Aos 29, Alessandro, machucado, deu lugar a Boquita.

Timão em declínio

No retorno para a segunda etapa, as duas equipes estavam com as mesmas formações. E as mesmas posturas. O Vasco tentando o terceiro gol, e o Corinthians ainda tentando se achar em campo, mas encontrar forças para reagir.

A fase do Timão pode ser representada pela atuação de Souza. Numa de suas várias tentativas frustradas, o atacante recebeu passe de Roberto Carlos na esquerda da grande área e, na tentativa de deixar a bola passar para pegar mais adiante, escorregou. A torcida do Vasco, então, não perdeu tempo e deu risada da cena pastelão protagonizada pelo jogador que já defendeu a camisa cruzmaltina.

Logo em seguida, vaias. Souza deixou o campo para entrada do argentino Matías Defederico. Na saída, reprovado por corintianos e vascaínos, o atacante fez gestos obscenos para os cariocas. Ouviu em troca um “Uh, vai morrer, uh, vai morrer”.

Com a entrada do argentino, o Timão esperava ter mais velocidade. Mas não, a noite não estava para os paulistas. Mesmo com o Vasco mais lento, cadenciando o jogo, a equipe pouco fazia para reagir.

O Vasco, então, resolveu não correr riscos. Administrou sua vantagem, tocou a bola de um lado para o outro, deixou o adversário ainda mais nervoso e investiu nas bolas paradas. Mas não conseguiu ampliar o marcador. Ampliou, sim, a crise no Corinthians e sua autoestima.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PEDOFILIA
Babá de 15 anos recebia dinheiro para ter relações com patrão
PREOCUPANTE
Mineradora declara situação de emergência em barragem de Araxá
INTOLERANCIA RELIGIOSA
Delegado solicita ida à casa do 'BBB 19' para interrogar Paula, investigada por intolerância
RESUMO DAS NOVELAS
Mercedes convoca Murilo para uma conversa
CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico