Menu
LIMIT ACADEMIA
quinta, 24 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Usina Quebra Coco não paga 800 funcionários desde junho

19 Jul 2007 - 17h23

Mais de 800 funcionários da indústria de álcool Quebra Coco, no distrito de mesmo nome, município de Sidrolândia, estão sem receber salário desde o final de junho. O sindicato da categoria recorreu ao Ministério Público do Trabalho, mas até o início da tarde de hoje  a situação não foi revertida.

De acordo com informações do representante do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Fabricação do Açúcar e Álcool de Rio Brilhante, Oviedo Santos, muitos funcionários estão reclamando que estão com dificuldades até para conseguir alimentação para suas famílias. Isto sem contar com as contas em atraso, que implicam em acréscimo de juros e multas.

Oviedo Santos disse também que as empresas CBAA – Companhia Brasileira de Açúcar e Álcool e a Agrisul, que administram a usina Quebra Coco, além de não justificarem o atraso de pagamento, não deram qualquer previsão de quando deverão cumprir com essa obrigação trabalhista.

“Esperamos que o Ministério Público do Trabalho intervenha logo pois essa infração da lei está prejudicando os trabalhadores que contam com seus sagrados vencimentos no final de cada mês trabalhado”, afirmou Oviedo.

 

 

Conjuntura Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

PREOCUPANTE
Arábia Saudita barra importação de frango de cinco frigoríficos brasileiros
FUTEBOL
São Paulo e Vasco da Gama farão a final da Copa São Paulo
BBB 19
Vanderson é eliminado e vai prestar depoimentos sobre casos de agressão
INVESTIGAÇÃO
Mourão volta a dizer que é preciso investigar Flávio Bolsonaro e punir se for o caso
HEROI
Porteiro ganha homenagem: salvou criança de 3 anos que caiu na piscina (VIDEO)
FAMOSIDADES
Aos 67 anos, Amado Batista assume namoro com jovem de 19 anos de idade
LUTO - TV
Ator Caio Junqueira morre no Rio uma semana após acidente
ANJO DA GUARDA
Amigo dá lar a mulher que viveu 40 anos internada no HC
MAMATA
General corta contratinho de R$ 30 milhões para manter jornalistas no exterior
PERSISTÊNCIA
Filho de faxineira e porteiro passa em medicina no Paraná