Menu
LIMIT ACADEMIA
quinta, 20 de junho de 2019
SADER_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

TSE barra candidato a deputado federal com base na Ficha Limpa

8 Out 2010 - 16h24Por Folha

O candidato a deputado federal pelo Maranhão Cléber Verde Cordeiro Mendes (PRB) teve o pedido do registro de sua candidatura barrado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com base na Lei da Ficha Limpa. Cleber obteve mais de 126 mil votos nesta eleição.

O candidato teve seu registro deferido pelo TRE-MA (Tribunal Regional Eleitoral) do Maranhão, mas o Ministério Público Eleitoral recorreu ao TSE afirmando que Cléber foi demitido em 2003 do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). A Lei da Ficha Limpa prevê que são inelegíveis os candidatos que forem demitidos do serviço público em decorrência de processo administrativo ou judicial.

O Ministério Público afirmou no recurso que o candidato foi demitido por "se valer do cargo para lograr proveito de outrem em detrimento da dignidade da função pública". O processo administrativo teria verificado irregularidades em 13 processos de concessão de aposentadoria de trabalhadores rurais, os quais Cléber teria supostamente participado da análise em Imperatriz, no Maranhão.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

SOB INVESTIGAÇÃO
Menina de um ano morre e IML aponta agressão física como causa da morte
CASO NEYMAR
Caso Neymar: Polícia francesa recupera imagens de hotel
MUNDO DA MÚSICA
Ludmilla posta foto de biquíni ao lado da namorada e faz declaração
JUSTICEIROS
Revoltados, moradores ateiam fogo em casa de bebê morto. Pai, mãe e avó estão presos
MILIONARIO
Apostador de Osasco-SP acerta dezenas e leva R$ 124 milhões da Mega-Sena
VIOLENCIA DOMESTICA
Jovem que agrediu a própria mãe por não poder ir a baile funk é presa
ATAQUE CANINO
Criança de dois anos é morta no quintal de casa por cachorro rottweiler
INFANTICIDIO
Padrasto teria sentado em cima da cabeça de bebê que morreu,foi espancado na cadeia
SOB INVESTIGAÇÃO
Jornalista do site Lei Seca Maricá foi assassinado com 3 tiros
VIDA SEDENTARIA
OMS alerta: Criança menor de 3 anos não deve ficar nem um minuto em tablet ou celular