Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 16 de fevereiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

TSE barra candidato a deputado federal com base na Ficha Limpa

8 Out 2010 - 16h24Por Folha

O candidato a deputado federal pelo Maranhão Cléber Verde Cordeiro Mendes (PRB) teve o pedido do registro de sua candidatura barrado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com base na Lei da Ficha Limpa. Cleber obteve mais de 126 mil votos nesta eleição.

O candidato teve seu registro deferido pelo TRE-MA (Tribunal Regional Eleitoral) do Maranhão, mas o Ministério Público Eleitoral recorreu ao TSE afirmando que Cléber foi demitido em 2003 do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). A Lei da Ficha Limpa prevê que são inelegíveis os candidatos que forem demitidos do serviço público em decorrência de processo administrativo ou judicial.

O Ministério Público afirmou no recurso que o candidato foi demitido por "se valer do cargo para lograr proveito de outrem em detrimento da dignidade da função pública". O processo administrativo teria verificado irregularidades em 13 processos de concessão de aposentadoria de trabalhadores rurais, os quais Cléber teria supostamente participado da análise em Imperatriz, no Maranhão.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

OUTROS 10 ESTADOS
Horário de verão termina à meia-noite; relógios devem ser atrasados em 1h
BARBÁRIE
Rosane Santiago Silveira, torturada e morta em sua própria casa
CARRO DE APLICATIVO
Mulher é estuprada após aceitar água e bala em carro de app
VIOLENCIA DOMESTICA
Enquanto Lírio Parisotto era condenado, Luiza Brunet discutia campanha contra violência doméstica
CANALHA
Criança de 4 anos é estuprada no próprio aniversário
HORARIO DE VERÃO
Atrase seu relógio! Horário de verão termina neste sábado(16)
CARCERE PRIVADO
Mulher é chicoteada com fio elétrico pelo marido
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Lutador de MMA mata ex de 16 anos, tenta suicídio e morre horas depois em hospital
VIOLENCIA NO RIO
Menina de 11 anos é baleada e morta em Triagem; moradores protestam
DOENÇA GRAVE
Leiliane ganha acompanhamento médico após desastre com Boechat