Menu
LIMIT ACADEMIA
quarta, 17 de julho de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Três doenças principais preocupam em MS

3 Nov 2010 - 17h40Por Correio do Estado

Como qualquer planta, a cana de açúcar também é alvo de doenças. São 180 no mundo todo, mas no Brasil existem hoje 35 identificadas.

Dessas, três são causadas por vírus, seis por bactérias e 26 por fungos, conforme foi pesquisado pelo Centro de Tecnologia Canavieira - CTC.

Conforme explicou o coordenador de Pesquis Tecnológica do centro, Enrico De Beni Arrigoni, dentre as várias ocorrências de doenças ele destaca três mais importantes: bicudo da cana, broca gigante e ferrugem alaranjada.

A que mais ameaça os canaviais de Mato Grosso do Sul é, segundo Enrico Arrigoni, o bicudo da cana, que deve se alastrar rapidamente por todas as regiões canavieiras.

"Ela já foi encontrada em Mato Grosso do Sul mas ainda não foi registrada oficialmente", afirmou.

A broca gigante já foi encontrada no Estado de Mato Grosso e não ainda em MS, porém, existe risco de que possa chegar ao Estado.

E finalmente, a ferrugem alaranjada é considerada uma doença que tem se alastrado bastante, no entanto, segundo o pesquisador do CTC já está controlada sua incidência, não representanto tanto risco as lavouras de cana como as duas primeiras.

Doenças

A ferrugem alaranjada pode causar perdas entre 10% e 30% em toneladas/hectare/ano, pode causar prejuízos de R$ 1.000,00 por hectare/ano se não for controlada. A ferrugem marrom, de 10% a 40% em tonelada de cana por hectare/ano podendo o prejuízo atingir R$ 1.400 por ha/ano.

Áreas infestadas pelo bicudo da cana poderão registrar perdas médias de 25 toneladas por hectare/ano, o que significaria prejuízo de R$ 1.060 por hectare/ano.

A broca gigante, segundo o CTC, para cada 10% de tocos atacados ocorrem perdas de R$ 630 por hectare/ano.

Outra doença que tem surgido nos canaviais brasileiros, especialmente depois que a colheita mecanizada foi implantada é a podridão abacaxi, que causa perdas de 30% a 100% da produção, com prejuízos de R$ 3.400 por hectare.

A doença mosaico pode causar perdas que variam entre 5% e 85% em toneladas de cana por hectare/ano, sendo que os prejuízos financeiros podem atingir até R$ 2.900 poe hectare/ano.

Desde que começou a ser reduzida a queima da cana, especialmente no Estado de São Paulo, com a manutenção da palha nas lavouras, surgiu a doença cigarrinha da cana, que age nos mesmos moldes da cigarrinha das pastagens.

Em áreas infectadas com a cigarrinha da cana ocorrem perdas médias de 14 toneladas por hectare/ano, o que significa prejuízo de R$ 590 por hectare/ano.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DESCARGA ELÉTRICA
Técnico de Rerigeração morre após sofrer choque ao manusear microondas
DOENÇA DO SÉCULO
Rapaz que se jogou da ponte do Rio Piquiri se despediu de amiga antes
COMOÇÃO
Jovem de 19 anos morre após contrair bactéria em parto
NOVELA GLOBAL
Josiane mata de novo em 'A dona do pedaço': saiba quem é a próxima vítima!
NOVELA GLOBAL
'A dona do pedaço': Maria da Paz conhece Gilda, que lhe vende mansão cara
ECLIPSE LUNAR
Eclipse parcial da Lua poderá ser visto em todo o Brasil; veja os horários
BARBÁRIE
Moça de 22 anos é agredida até a morte após se negar a fazer sexo
COMOÇÃO
Jovem Lenara, filha de vice prefeito morre vitima de câncer
100 REMEDIOS
Ministério da Saúde suspende fabricação de 19 remédios;veja aqui a lista dos medicamentos cortados
ABANDONADA NO ALTAR
Morre jovem que casou sozinha após ser abandonada no altar