Menu
LIMIT ACADEMIA
terça, 17 de setembro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Teruel discute desenvolvimento regional em Brasília

3 Set 2004 - 13h05
O deputado estadual Pedro Teruel, representando a Associação Brasileira de Empresários pela Cidadania-CIVES, esteve presente nesta quinta-feira, no Palácio do Planalto, em Brasília, na reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República-CDES, que contou com a participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes.

O presidente Lula afirmou que não faltarão recursos para financiar projetos que sejam fundamentais para o investimento, desde que demonstrem serem viáveis e com resultados para o desenvolvimento nacional.

O ministro Ciro Gomes, por sua vez, apresentou aos conselheiros do CDES a nova “Política Nacional de Desenvolvimento Regional”, definida a partir do mapeamento da dinâmica de crescimento de cada uma das regiões do país em relação a fatores como PIB per capta, renda média e mínima, escolaridade, entre outros. Segundo Ciro Gomes, a desigualdade em relação ao crescimento econômico ainda é muito elevada e isso pode ser observado em todo o país. O ministro revelou, ainda, que órgãos como a Sudeco, Sudene e Sudam serão recriados com nova concepção, para que funcionem blindados contra a corrupção, as fraldes e os desvios de recursos que marcaram suas histórias.

Teruel defendeu o investimento no potencial próprio de cada brasileiro para alavancar o desenvolvimento nacional: “Quanto mais brasileiros forem incluídos no setor produtivo, mais o país se desenvolverá. Não podemos nos apoiar apenas na visão econômica da questão. O importante é enfocar a saúde, a educação, o saneamento e tudo que diga respeito à qualidade de vida dos cidadãos”.

O deputado aponta, ainda, distorções na tese defendida por alguns setores de que as regiões Norte e Nordeste, por serem economicamente menos favorecidas, devam ser privilegiadas em relação a investimentos, excluindo o Centro- Oeste de benefícios, por ter dinâmica de desenvolvimento mais compatível com as regiões Sul e Sudeste. “Quem mora nas periferias das grandes e médias cidades, em qualquer ponto do país, muitas vezes tem renda igual ou menor que as populações carentes do Norte e do Nordeste. Existem áreas com grande desenvolvimento econômico cercadas por bolsões de pobreza e miséria. Os investimentos devem se espalhar por todo o país, sem discriminação”.

Em relação aos recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Regional, cuja divisão está sendo defendida pelos governadores dos estados de forma a ser inversamente proporcional ao PIB per capta, com estados que apresentam menor índice recebendo os maiores montantes, o CDES concluiu que tal fórmula não diminui as desigualdades. Por recomendação do Conselho, ainda que os investimentos sejam estaduais, a política deve ter caráter nacional, para que verdadeiramente favoreça toda a população brasileira.

 

 

 

Assembléia

Deixe seu Comentário

Leia Também

GASOLINA SEM REAJUSTE
Sinpetro diz que não haverá reajuste imediato no preço dos combustíveis
NOVELA GLOBAL
Em 'A dona do pedaço', Régis se aproxima de Maria da Paz, que fica mexida com ex
ALTOS HONORÁRIOS
Advogados cobram R$ 4,4 milhões de Viúva da Mega-Sena em honorários na Justiça
TRAGEDIA
Pai tenta salvar filho em incêndio, mas os dois morrem
MUNDO MEDONHO
'Pago boleto, compro calcinha': usuários de aplicativos de paquera relatam apuros e curiosidades
FAMOSIDADES
Belo sai de casa após flagrar traição de Gracyanne
ASSASSINATO
PM é torturado e morto após circular boato de que seria 'estuprador'
JULGAMENTO
PMs acusados de chacina taparam câmera de segurança antes do crime
CASO DE POLÍCIA
Catador de reciclável recebe mochila com bebê congelado dentro
LUTO NA MÚSICA
Cantor sertanejo morre após carro bater em árvore em rodovia de MS