Menu
LIMIT ACADEMIA
domingo, 16 de dezembro de 2018
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Tebet questiona Mantega sobre fiscalização do PPP

29 Jun 2004 - 16h38
 

O presidente da CAE (Comissão de Assuntos Econômicos), senador Ramez Tebet (PMDB-RS), disse considerar inovadora a idéia do sistema de PPP (Parceria Público-Privada), cujo objetivo, segundo ressaltou, é viabilizar investimentos na área de infra-estrutura, uma vez que o governo não dispõe de recursos. Ele ressaltou, entretanto, a necessidade de avaliação da viabilidade econômica dos projetos que o sistema PPP deverá implantar, como é normal em qualquer investimento, e indagou o porquê da necessidade de o governo se responsabilizar por obra que o setor privado irá executar em parceria com o poder público, mesmo com as informações disponíveis após o exame de viabilidade.

Tebet também questionou ao ministro se não seria o caso de tornar obrigatório o exame pelo Senado dos projetos a serem executados pelo PPP - como já ocorre no caso de autorização de empréstimos aos estados - como forma de reforçar o sistema de fiscalização, para evitar os chamados “esqueletos”, obras paralisadas pelo desvio de recursos públicos. “Porque muitos estão reclamando de que se trata de um cheque em branco. Se houver falha na fiscalização, temos que admitir que abrimos as portas para os esqueletos. Então, qual a melhor forma de fiscalizar? Somente pelo Executivo, considerando principalmente que o poder público vai arcar com os prejuízos que a iniciativa privada tiver?”, questionou Tebet.

Guido Mantega informou ao senador que a execução dos projetos será sempre precedida de análise de viabilidade econômica, como já acontece atualmente. Ainda segundo o ministro, o exame obrigatório das propostas de projetos pelo Senado atrasaria e inviabilizaria a realização das obras no âmbito do PPP. Ele informou que todos os projetos a serem executados pelo PPP estão contidos no PPA (Plano Plurianual de Investimentos) e, portanto, já passaram pelo crivo do Congresso. No caso dos estados e municípios, Guido Mantega acredita que deverá ser adotado procedimento semelhante. Além disso, ressaltou Guido Mantega, o órgão gestor do sistema deverá fazer relatórios semestrais informando ao Legislativo quais foram os projetos aprovados. As questões contratuais, explicou ainda, serão analisadas pelo TCU (Tribunal de Contas da União). O Legislativo, acrescentou o ministro, participará da avaliação dos projetos quando deliberar sobre o orçamento anual.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ACIDENTE
Criança de dois anos se enforca com a alça da bolsa enquanto brincava em escola
CASO JOÃO DE DEUS
Marina Ruy Barbosa intervém no caso João de Deus e impede uma grande tragédia
PRISÃO DECRETADA
Justiça de Goiás decreta prisão de João de Deus
STARTUPS NO BRASIL JÁ É SUCESSO
O sucesso das startups no Brasil e algumas novas apostas no mercado
REVOLTANTE
Filha de João de Deus diz que foi abusada dos 10 aos 14 anos: 'Meu pai é um monstro'
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Robério beija Marcos Paulo e a agride ao descobrir que ela é trans
DESTAQUE MUNDIAL
Dois brasileiros estão no Top 50: melhores professores do mundo
JUSTIÇA - WHATSAPP
Administradora de grupo no WhatsApp, foi “condenada” á pagar 3 mil por discussão de membros
DICAS DE SERVIÇO DE HOSPEDAGEM NA WEB
Vai criar um blog ou um site?, saiba aqui tudo sobre o serviço de hospedagem
ALERTA NA NET
Golpe no WhatsApp engana usuários ao prometer brindes falsos de Natal