Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 22 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Taxas de juros estão até 9,23% mais baratas

17 Jul 2007 - 11h03
As taxas de juros máximas cobradas por alguns bancos no empréstimo pessoal caíram até 9,23% de junho para julho deste ano. No mesmo período, o porcentual máximo relativo ao cheque especial teve redução de até 6,67%. Os dados constam de pesquisa da Fundação Procon de São Paulo divulgada ontem.

Ainda segundo o levantamento, realizado junto a dez instituições financeiras, as taxas médias, no mesmo período, apresentaram as maiores quedas mensais registradas nos últimos 12 meses. O porcentual para empréstimo pessoal caiu de 5,37% em junho para 5,29% em julho, redução de 0,08 ponto ou 1,49%. Já no cheque especial, a taxa média baixou de 8,29% para 8,23%, baixa de 0,06 ponto porcentual ou 0,72%.

Entre os bancos pesquisados, a maior redução para empréstimo pessoal foi encontrada no Banco Real, que baixou a taxa de 6,50% para 5,90%, um decréscimo de 0,60 ponto porcentual, que representa 9,23%.

Com a taxa de junho, um empréstimo de R$ 1 mil para devolução em um ano custaria, ao final do período, R$ 1.470,84, 12 parcelas de R$ 122,57. Com a taxa média de julho, de 5,90% ao mês, o mesmo empréstimo teria 12 parcelas de R$ 118,82, R$ 1.425,84 ao final do período. Uma diferença de R$ 45 entre as duas taxas. Apesar da redução, o Real ainda é apenas o oitavo no ranking das instituições consultadas (veja quadro nesta página).

Com relação às taxas do cheque especial, a queda média detectada entre junho e julho foi de 0,06 ponto porcentual, de 8,29% para 8,23%. Isso significa que o cliente que ficasse devedor de R$ 1 mil no período de um mês pagaria, pela taxa da junho, R$ 82,90 de juros. A redução registrada não teria muito peso. O valor dos juros para um mês seriam de R$ 82,30 em julho. Segundo o Procon, a maior redução entre os bancos consultados foi feita no Unibanco, cujo corte foi de 0,60 ponto porcentual, de 8,99% para 8,39%, variação de 6,67%.

Segundo Cristina Martinussi, técnica do Procon, as reduções são reflexo da política do Banco Central, que tem baixado gradualmente a taxa básica de juros da economia - a Selic - hoje em 12% ao ano.

Inadimplência

O índice de cheques sem fundos no Estado de São Paulo registrou aumento de 2,11% no primeiro semestre de 2007 em comparação com o mesmo período do ano passado.

A informação está em pesquisa da Telecheque, empresa de análise de crédito. Pelo levantamento, do total de transações em reais, a inadimplência chegou a 2,42% desse volume no primeiro semestre. No primeiros seis meses de 2006, o índice foi de 2,37%.

Já no País, o índice de cheques sem fundo caiu 0,71% no primeiro semestre ante o ano passado.

EM NÚMEROS

>>10 bancos foram pesquisados pela Fundação Procon de São Paulo

>>5,29% ao mês é a média cobrada no empréstimo pessoal em julho

>>8,23% ao mês é a média cobrada no cheque especial em julho
 
 
 
Estadão

Deixe seu Comentário

Leia Também

PERSISTÊNCIA
Filho de faxineira e porteiro passa em medicina no Paraná
RENOVAÇÃO LICENÇA
Extinção de mais 130 rádios comunitárias no Brasil deve alcançar emissora de Ponta Porã
CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho