Menu
SADER_FULL
segunda, 24 de junho de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Tarifa de celular varia até 814% no Brasil, diz estudo

1 Nov 2010 - 13h00Por Agência Estado

Não há outro lugar no mundo com tarifa de celular tão cara quanto o Brasil. Os preços, no entanto, variam drasticamente de um plano para outro e de uma operadora para outra. A Associação Brasileira de Defesa do Consumidor Pro Teste identificou em um estudo, por exemplo, que esses custos variam até 814%.

Com tamanha discrepância entre os preços, o consumidor que procurar bem conseguirá "desperdiçar" menos recursos ao mês com o celular, segundo os institutos de defesa do consumidor. Para começar, é preciso optar entre o celular pré ou pós-pago. O estudo da Pro Teste, assim como um outro material produzido pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) sobre esse tema, detectam de cara que o custo do minuto do pré-pago é mais alto. Por outro lado, com o pré-pago é mais fácil ter controle de quanto será gasto no mês com o celular, evitando surpresas no fim do mês.

O Idec encontrou nos sites das principais operadoras do País tarifas de R$ 1,39 a R$ 1,49 por minuto para pré-pagos. Em alguns casos, há tarifas mais baratas para as ligações feitas entre aparelhos da mesma operadora. Nos planos pós-pagos, o preço por minuto varia de R$ 0,88 a R$ 1,10 e as mensalidades, de R$ 35,90 a R$ 58,90.

"Hoje, 82% das ligações são feitas de telefones pré-pagos, que são uma importante opção para o consumidor que não pode arcar com o alto custo mensal dos planos pós-pagos", diz Guilherme Varella, do Idec. "Para alguns perfis, como por exemplo aqueles que recebem mais ligações do que fazem, o pré-pago pode ser mais vantajoso", completa.

Para fazer a comparação entre os planos de pré e de pós-pagos, a Pro Teste elaborou um perfil de usuário que fala por 300 minutos em 150 ligações locais de dois minutos, ao longo de um mês. No perfil, não há ligações DDD e 80% das chamadas são feitas no horário reduzido, metade para números da mesma operadora, 25% para telefones fixos e os outros 25% para celulares de outras operadoras. "Aplicando essa situação ao Estado de São Paulo, os planos pós-pagos são sempre as melhores opções", diz Maria Inês Dolci, da Pro Teste.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FAMOSIDADES
Filho de Angélica e Luciano Huck sofre acidente com wakeboard em Ilha Grande
DUPLO ASSASSINATO
Criança vê execução de pai e mãe em menos de 6 meses
COPA AMÉRICA
Brasil joga bonito, goleia Peru e se classifica em primeiro, veja os gols
SELFIE MORTAL
Jovem morre ao tentar tirar selfie na estação de trem do Riachuelo
CIGARRO ELETRÔNICO
Narguilé explode e jovem tem 60% do corpo queimado em festa
SOB INVESTIGAÇÃO
Menina de um ano morre e IML aponta agressão física como causa da morte
CASO NEYMAR
Caso Neymar: Polícia francesa recupera imagens de hotel
MUNDO DA MÚSICA
Ludmilla posta foto de biquíni ao lado da namorada e faz declaração
JUSTICEIROS
Revoltados, moradores ateiam fogo em casa de bebê morto. Pai, mãe e avó estão presos
MILIONARIO
Apostador de Osasco-SP acerta dezenas e leva R$ 124 milhões da Mega-Sena