Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 23 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Tabagismo pode matar 10 milhões por ano em 2020

30 Mai 2007 - 16h50
Considerado pela comunidade médica uma doença gravíssima, o Tabagismo atinge cerca de 1,3 milhões de pessoas em todo o mundo, o que representa mais de 15 bilhões de cigarros consumidos diariamente. No próximo dia 31 de maio se comemora o Dia Mundial sem Tabaco e, mais uma vez, autoridades e entidades de todo o planeta concentram seus esforços em campanhas de combate ao fumo e conscientização.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), atualmente cinco milhões de pessoas morrem vítimas de doenças relacionadas ao tabagismo e a estimativa é que esse número dobre em 2020, causando 10 milhões de mortes. Para o Dr. Roberto Rodrigues Junior, pneumologista do Lavoisier Medicina Diagnóstica/ Diagnósticos da América (DASA), o cigarro chega a matar hoje, nos países em desenvolvimento, mais que a soma de outras causas evitáveis de morte, tais como a cocaína, heroína, álcool, incêndios, suicídios e AIDS.

"O tabagismo é vilão de grandes prejuízos às pessoas e à sociedade, que sofrem vendo um familiar morrendo lentamente 'afogado fora da água' (asfixiado pelo enfisema pulmonar, também conhecido como Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOC), sentindo falta de ar para andar, tomar banho, praticar uma relação sexual; ou paralisado em uma cama por um acidente vascular cerebral (derrame cerebral), com várias escaras (feridas) pelo corpo; ou com câncer de cordas vocais, que muitas vezes ao ser extirpado perpetua o paciente a respirar por um traqueostoma (buraco na garganta); ou ainda vítima de um infarto do miocárdio seguido de incapacidade ou morte. Salienta-se também que o tabagismo é responsável pelo câncer de pulmão, este o câncer que mais mata pessoas no mundo", afirma Dr. Rodrigues Junior.

Para o especialista, o tabaco pode também ser considerado um prejuízo econômico, pois alguém terá que trabalhar por essa pessoa antes produtiva e agora inválida, e os sistemas de saúde terão que pagar as contas hospitalares e os medicamentos de uso contínuo das vítimas do tabagismo. Segundo a OMS, o prejuízo global anual até 2010 deve somar U$S 500 milhões por conta dessa doença. "Isso também acontece porque os fumantes tendem a faltar no trabalho cinco vezes mais que as pessoas não-fumantes", completa o pneumologista.

"Para se ter bons resultados das ações contra o tabagismo é necessário mudar a realidade dos fatos e investir pesado contra esse vício. Os cigarros devem ter seu preço aumentado, dificultando a aquisição, e, ao mesmo tempo, as medicações disponíveis para o tratamento de interrupção do tabagismo serem mais baratas e as propagandas deveriam ser completamente proibidas. Apenas dessa forma conseguiremos resultados concretos para as doenças que ele acarreta e à sociedade como um todo", conclui Dr. Rodrigues Junior.
 
 
 
Dourados News

Deixe seu Comentário

Leia Também

PERSISTÊNCIA
Filho de faxineira e porteiro passa em medicina no Paraná
RENOVAÇÃO LICENÇA
Extinção de mais 130 rádios comunitárias no Brasil deve alcançar emissora de Ponta Porã
CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho