Menu
SADER_FULL
segunda, 27 de maio de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

STF julga hoje mérito de ação contra pensão vitalícia de Zeca

1 Ago 2007 - 07h43

O STF (Supremo Tribunal Federal) dá continuidade hoje, em sessão a partir das 13h (horário de Mato Grosso do Sul), ao julgamento da Adi (Ação Direta de Inconstitucionalidade) proposta pelo Conselho Federal da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) contra a pensão vitalícia para o ex-governador Zeca do PT. Os ministros do Supremo retomam hoje as sessões plenárias, depois das férias forenses.

No dia 13 de julho, a presidente do Supremo, ministra Ellen Gracie, deferiu o pedido do governo do Estado para suspender o acórdão proferido pelo TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), que garantia o pagamento da pensão vitalícia a Zeca até o julgamento final da Adi no STF.

A decisão de Gracie foi a primeira derrota do ex-governador que, sendo beneficiado por liminar, vinha recebendo a pensão desde março. No dia 11, o TJ também tinha garantido por unanimidade a manutenção do pagamento até julgamento da Adi, tendo concedido segurança em mandado impetrado por Zeca.

A ministra Ellen Gracie tomou a decisão nos autos da suspensão de segurança ao acatar alegação do Estado de que a pensão provocava grave lesão à ordem pública ante a inconstitucionalidade do artigo 29-A do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, introduzido na Constituição Estadual pela Emenda à Constituição estadual nº 35/206.

A defesa do ex-governador Zeca impetrou no dia 24 de julho um agravo regimental no Supremo contra a decisão da ministra de suspensão da segurança em mandato impetrado por Zeca.

O presidente da seccional sul-mato-grossense da OAB, Fábio Trad, disse que a suspensão da segurança indica a tendência de que o Supremo deverá deferir a Adi e acabar com o benefício.

O governo do Estado sustenta que o subsídio ao ex-governador é uma verdadeira “pensão gratuita”, instituída sem definição prévia da fonte para seu custeio. O Estado também alega que o atual salário bruto mensal do governador é de R$ 22.111,25 e que, portanto, a manutenção do benefício oneraria os cofres estaduais em R$ 265.335 por ano por ex-governador, sem considerar o valor eventualmente devido pelo 13º salário.

O julgamento da Adi até o momento indica um quadro favorável à hipótese de Trad. Além da ministra relatora Cármen Lúcia, que votou pela procedência da Adi, outros dois ministros já votaram com a relatora. O julgamento foi suspenso depois que o ministro Eros Grau pediu vista do processo. Os autos foram devolvidos para julgamento no dia 13 de junho.

 

Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - VISITA ILUSTRE
Em Bonito (MS), Miss Brasil Júlia Horta destaca 'A energia daqui é inexplicável'
COISA DE DOIDO
Sucuri ataca bombeiro durante resgate em SP; assista!
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Governo dobra vagas de concurso da PF e convocações saem no fim do ano
FEMINICIDIO
Mulher é morta com 75 facadas pelo ex-marido após 25 anos de casamento
NEGLIGÊNCIA FUNCIONAL
'Peguei meu filho e achei que estivesse morto', diz mãe de criança dopada em creche
FÁTIMA DO SUL - O BOTICÁRIO
Confira o que tá na promoção que vai até este sábado no O Boticário em Fátima do Sul
BONITO - MS - DICA AGÊNCIA ECO TOUR
Visite Bonito (MS) na baixa temporada, saiba o porquê!
FÁTIMA DO SUL - TRATAMENTO COACH
De Nova Andradina, Vanessa recupera autoestima com tratamento 'Coach' Célia Tenório de Fátima do Sul
CASA BOCA SUJA
morador instala placas com palavrões nos muros de casa
MACABRO
Mulher é encontrada morta ao lado de uma oferenda