Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quinta, 20 de junho de 2019
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

STF já pode retomar julgamento da pensão de Zeca do PT

16 Ago 2007 - 13h00
O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes já concluiu a análise dos autos da ação em que o Conselho Federal da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) questiona a emenda constitucional que recriou a pensão vitalícia aos ex-governadores de Mato Grosso do Sul, o que permite a retomada do julgamento definitivo do processo, suspenso pela segunda vez no dia 01 de agosto, após o pedido de vistas de Mendes.

O magistrado devolveu os autos para a secretaria do STF na terça-feira, para que seja marcada a data para conclusão do julgamento. A previsão é que isso ocorra até setembro.

A emenda que determinou o pagamento da pensão, no fim do governo de Zeca do PT, em 2006, está suspensa, por decisão do STF, mas falta concluir o julgamento que pode sepultar a medida legal definitivamente. Quando a suspensão ocorreu, a ação já tinha 6 votos favoráveis à OAB e apenas um pela manutenção da legislação.

A menos que algum dos ministros mude de posição, dificilmente a emenda sobriverá, uma vez que são 11 ministros, e o argumento contrário à pensão já teve o voto de 6 deles, ou seja, a maioria.

Histórico - A ação contrária à emenda recriando a pensão vitalícia foi movida pela OAB, em janeiro deste ano. Em março, o ex-governador Zeca do PT, beneficiário direto, conseguiu uma decisão no TJ determinando o cumprimento da lei, ou seja, o pagamento mensal de um valor equivalente ao salário do atual governador, de R$ 22 mil. A decisão previa o pagamento a partir da data da concessão da liminar pelo Tribunal, até que o STF julgasse definitivamente o caso.

O Estado recorreu ao STF e conseguiu, em julho, suspender a decisão na esfera estadual, antes mesmo da votação definitiva da ADI (Ação Direta de Inconstitucionalidade). A ADI já havia sido levada ao plenário no dia 18 de abril, quando o julgamento foi suspenso pelo pedido de vistas do ministro Eros Grau, o único que, na sessão do dia 01 de agosto, votou a favor da benésse.

Os ministros Joaquim Barbosa, Carlos Brito e César Peluzzo, Ricardo Lewandovski e Sepúlveda Pertence, além da relatora do processo, Carmem Lúcia, votaram pela declaração de inconstitucionalidade da lei.
 
 
Dourados News

Deixe seu Comentário

Leia Também

ATAQUE CANINO
Criança de dois anos é morta no quintal de casa por cachorro rottweiler
INFANTICIDIO
Padrasto teria sentado em cima da cabeça de bebê que morreu,foi espancado na cadeia
SOB INVESTIGAÇÃO
Jornalista do site Lei Seca Maricá foi assassinado com 3 tiros
VIDA SEDENTARIA
OMS alerta: Criança menor de 3 anos não deve ficar nem um minuto em tablet ou celular
HOMICIDIO X SUICIDIO
Pai que matou o filho de 4 anos e se matou não se conformava com namoro da ex-mulher
DOENÇA DO SÉCULO
Jovem de 19 anos, com depressão comete suicídio e comove amigos
ASSASSINATO CRUEL
O massacre do menino Rhuan e o silêncio da grande mídia
FAMOSIDADES
Homem discute com mulher e mata bebê de quatro meses
SOLIDARIEDADE
Bebê nasce sem os olhos e mobiliza cidade do Paraná
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Pai mata filho de quatro anos e se mata por não aceitar fim do relacionamento