Menu
SADER_FULL
terça, 19 de fevereiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

SP: mulher é impedida de prestar concurso por causa do sapato

29 Jul 2010 - 06h48Por G1
Uma mulher foi impedida de fazer um concurso público por causa do sapato que estava usando. Ela acredita que obedeceu tudo que o edital exigia, mas não foi aceita. O concurso era para merendeira, em Igaraçu do Tietê, a 287 km da capital paulista. O salário é de R$ 600. O caso agora está na Justiça.

O edital determinava que o candidato usasse sapato fechado e sem salto para fazer a prova prática, a segunda fase do concurso. A dona de casa Maria José de Oliveira já tinha passado pela prova escrita e foi para o teste com um calçado de tecido, fechado e sem salto. "Só tinha esse sapato, não tava com condições de comprar outro sapato, então coloquei o que eu tinha", disse.

Quando ela chegou, um fiscal disse que não ia poder fazer a prova prática. A empresa que organizou o concurso para a Prefeitura de Igaraçu do Tietê diz que a sapatilha não estava de acordo com a exigência. Maria José tem certeza que podia ter feito todas as receitas pedidas na prova. E entrou na Justiça pedindo indenização por danos morais.

A primeira audiência do processo ainda não foi marcada pela Justiça. O advogado da empresa que organizou o concurso reafirmou, por telefone, que a "vestimenta" - quer dizer, o sapato - não estava de acordo com o que foi exigido no edital.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ACIDENTE FATAL
Adolescente é atropelada quando levava pai em cadeira de rodas, veja o vídeo
VIOLENCIA DOMESTICA
'Não consigo reconhecê-la', diz irmão de mulher espancada no 1° encontro
O REI ROBERTO CARLOS
Roberto Carlos vestiu rosa e se mostrou contrário a projeto de Jair Bolsonaro
BRIGA NO PLANALTO
Magoado e traído, Bebianno não vai poupar filho de Bolsonaro
TRÁGICO
Mãe do piloto de Ricardo Boechat morre três dias após o filho
OUTROS 10 ESTADOS
Horário de verão termina à meia-noite; relógios devem ser atrasados em 1h
BARBÁRIE
Rosane Santiago Silveira, torturada e morta em sua própria casa
CARRO DE APLICATIVO
Mulher é estuprada após aceitar água e bala em carro de app
VIOLENCIA DOMESTICA
Enquanto Lírio Parisotto era condenado, Luiza Brunet discutia campanha contra violência doméstica
CANALHA
Criança de 4 anos é estuprada no próprio aniversário